Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Empresa de Elon Musk, homem mais rico do mundo, quer investir na Amazônia; entenda

A Starlink usa satélites em órbitas baixas e consegue oferecer velocidades de banda larga de até 200Mb/s. Empresa já procurou um estado da região demonstrando interesse em fazer investimentos

O Liberal

A Starlink, empresa pertencente a Elon Musk, o homem mais rico do mundo e que está comprando o Twitter por US$ 44 bilhões, planeja investimentos na Amazônia e já procurou pelo menos um dos Estados da região. A companhia enviou ofício à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) do Amazonas informando que pretende começar a prover serviços de banda larga a clientes no Brasil. As informações são do Portal Metrópoles.

VEJA MAIS

‘Reação extrema diz tudo’, afirma Elon Musk em relação aos que ‘temem’ liberdade de expressão Bilionário dono do Twitter afirma que os limites da censura estão na própria lei

Após Elon Musk comprar o Twitter, aliados de Bolsonaro relatam salto de seguidores Ex-ministro do Turismo Gilson Machado teve 6.754 novos seguidores em seu perfil

Entenda o que pode mudar no Twitter com a compra por Elon Musk Especialistas dizem que o bilionário pode enfrentar grandes desafios para concretizar medidas espinhosas que vem sinalizando nos últimos tempos

O governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), disse que Musk demonstrou interesse em levar investimentos à unidade da federação e a gestão local vai trabalhar para consolidar esse negócio. “Venham conhecer a Amazônia. A Amazônia está chamando vocês”, declarou Lima, em nota divulgada pelo Governo do Amazonas.

A companhia de Musk oferece banda larga via satélite e, segundo o Governo do Amazonas, usa satélites em órbitas baixas e consegue oferecer velocidades de banda larga de até 200Mb/s.

Não é a primeira vez que a possibilidade de uma empresa do bilionário investir na região é levantada. Em novembro do ano passado, após se reunir com Musk no Texas, Estados Unidos, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que o empresário viria ao Brasil em breve para tratar da expansão da conectividade em escolas e unidades de saúde em áreas rurais, comunidades indígenas e locais remotos.

“Estamos ansiosos para proporcionar conectividade aos menos conectados, para as pessoas no Brasil que têm mais dificuldades para se conectar, especialmente para escolas e hospitais em áreas rurais”, disse Musk em vídeo ao lado do ministro publicado nas redes sociais.

Para o empresário, com melhor conectividade, seria possível assegurar a preservação da Amazônia e o monitoramento da região a fim de evitar desmatamentos e incêndios ilegais. Faria afirmou que os cerca de 4.500 satélites das empresas de Elon Musk que orbitam em baixa altitude podem colaborar nesse acompanhamento.

Palavras-chave

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO