Cutucar o nariz com os dedos pode levar a bactéria ao cérebro, alertam cientistas australianos

Prática inclusive tem potencial de levar à doença de Alzheimer

O Liberal
fonte

Um estudo recente publicado na plataforma Nature em outubro de 2022 revelou que a retirada de muco nasal ressecado pode levar a bactéria Chlamydia pneumoniae até o cérebro, através dos nervos olfativos, em camundongos. Essa descoberta pode ter implicações para a saúde humana, já que foi comprovada uma correlação entre a infecção do sistema nervoso central com esse patógeno e a doença de Alzheimer. Isso ocorre porque, quando a Chlamydia circula pelo organismo, as células cerebrais reagem, produzindo a proteína beta amiloide, que em determinadas concentrações é um indicador da enfermidade neurodegenerativa.

Além disso, o ato de cutucar o nariz com os dedos, de forma excessiva, vem sendo associado a outras doenças. Numerosas bactérias habitam as mãos humanas, e poucas pessoas desinfetam o dedo antes de enfiá-lo na narina. Se a imunidade está debilitada e a mucosa danificada, os micróbios podem ir parar no cérebro, provocando uma meningite bacteriana.

Os sintomas típicos são febre, dor de cabeça, rigidez do pescoço, sensibilidade à luz e confusão mental. Essa forma de meningite pode, ainda, gerar complicações como danos cerebrais, infarto, convulsões e perda da audição. Em geral, o tratamento médico é com antibióticos ministrados por via venosa.

VEJA MAIS

image Menina de 9 anos morre após engolir pedra em Parauapebas
Familiares ainda tentaram socorrer a vítima levando-a para um posto de saúde do bairro Liberdade II

image Tirar um cochilo de 30 minutos pode melhorar a memória e a produtividade
Os resultados do estudo foram publicados na revista Sleep, uma das mais importantes na área de medicina do sono

image Um a cada três brasileiros sofre de insônia; especialista destaca a função do sono para a saúde
Para conscientizar a população acerca da importância do sono para a saúde e os efeitos de uma rotina desregulada, até o próximo dia 19 de março é realizada a “Semana do Sono”, uma campanha nacional que envolve diversas entidades

Mucosa serve para filtrar o ar e evitar patógenos

A cavidade nasal superior humana possui uma estrutura em filigrana formada por 5 milhões a 10 milhões de células olfativas que filtram patógenos e substâncias danosas do ar, como pólen ou poeira, antes que cheguem aos órgãos respiratórios, protegendo de infecções. O muco também umedece o ar respirado, evitando que se resseque, enquanto bactérias e vírus ficam presos na mucosa nasal, para serem mais tarde transportados para fora do nariz através dos pelos nasais.

Porém, futucar o nariz de forma excessivamente profunda, longa ou agressiva pode danificar a delicada mucosa, causando lesões resultando não só em sangramentos, mas até no rompimento do septo nasal. A consequência é um estreitamento dos canais do nariz, comprometendo a respiração. Dependendo da extensão do dano, é necessário solução cirúrgica, na forma de uma septoplastia.

Em casos raros, a exploração digital das narinas pode se transformar no transtorno obsessivo-compulsivo que os psicólogos denominam rinotilexomania. O (mau) hábito passa a ser incontrolável, manifestando-se sobretudo em situações de nervosismo ou insegurança.

Portanto, ficar tirando meleca o tempo todo pode também ser um indício de problemas psíquicos.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱

Palavras-chave

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO