Colisão: Nave da Nasa tentará mudar trajetória de asteroide nesta segunda-feira; entenda

Esta é a primeira missão espacial de defesa planetária da Nasa, com o objetivo de treinamento para uma ameaça maior que um dia poderá atingir a Terra

O Liberal
fonte

A Nasa, agência espacial dos Estado Unidos, tentará pela primeira vez mudar de forma mensurável a trajetória de um asteroide, em uma missão especial inédita de defesa planetária. Nesta segunda-feira (26), a espaçonave Dart (sigla inglesa para Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo), vai tentar colidir com o asteroide Dimorfo, de 163 metros, que orbita outro asteroide, Dídimo, de 780 metros. As informações são do jornal Folha de São Paulo e revista Exame.

Com o impacto, a expectativa é de que o asteroide mude sua trajetória. Os alvos estão na lista dos chamados NEAs, asteroides próximos à Terra, e pertencem à categoria dos potencialmente perigosos, mas não oferecem risco imediato à terra. No entanto, por ser um astro duplo, foi considerado ideal para o teste da técnica de desvio por impacto cinético.

VEJA MAIS

image Nasa realiza teste espacial de defesa planetária colocando nave para desviar um asteroide; veja
A ideia é mudar a rota do asteroide e descobrir a capacidade de conseguir realizar esta ação caso o planeta Terra sofra alguma ameaça. A empresa transmitirá o evento ao vivo.

image Com foco em desafios globais e do espaço, Maratona de Inovação da Nasa chega a Belém
O evento será entre os dias 30 de setembro e 02 de outubro, de forma online e gratuito para a comunidade

image Super-Terra: Cientistas descobrem planeta possivelmente habitável com tamanho maior que o da Terra
Batizado de LP 890-9c, o planeta foi descoberto por um grupo de cientistas liderados por Laetitia Delrez, da Universidade de Liége, na Bélgica. Em parceria com a Nasa, a descoberta foi realizada a partir do uso dos telescópios SPECULLOS

image Nasa lança missão contra asteroide em teste para futuras ameaças espaciais
O objetivo é testar a possibilidade de efetivamente desviar a órbita de um asteroide

Como a massa da pedra gigante é bem maior que a da espaçonave, a variação de velocidade esperada seria inferior a 1%. Mas levaria a uma mudança da órbita do Dimorfo ao redor do Dídimo, acompanhada por uma alteração no período orbital —o tempo que leva para o asteroide-lua completar uma volta em torno do astro maior.

Essa mudança, por sua vez, poderá ser medida ao longo dos dias e semanas seguintes, conforme astrônomos usam telescópios em solo e no espaço a fim de verificar qual foi o impacto dinâmico no asteroide.

A colisão é esperada para as 20h14 (de Brasília). A equipe encarregada do projeto executou manobras de correção de trajetória nas últimas semanas a fim de reduzir a margem de erro. O último teste deverá ser realizado neste domingo, dia 25, cerca de 24 horas antes do impacto, com o objetivo de delimitar a posição do asteróide em uma variação de no máximo 2 quilômetros. Depois disso, será dado sinal verde para a colisão.

 

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO