Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ataque de Israel na Faixa de Gaza deixa ao menos nove mortos; Hamas promete retaliação

No ataque, uma criança de cinco anos e um dos líderes do grupo palestino Jihad Islâmica foram mortos; mais de 44 pessoas ficaram feridas

Gabriel Mansur

Um ataque do exército israelense na Faixa de Gaza deixou ao menos dez mortos, nesta sexta-feira (5). As forças militares do país afirmam que todos os mortos faziam parte do grupo palestino Jihad Islâmica, que confirmou a morte de Tayseer Jabari, “importante líder”, mas o Ministério da Saúde de Gaza indicou nove óbitos, sendo uma criança de cinco anos, e 44 feridos.

VEJA MAIS

Jornalista da Al-Jazeera morre em ataque israelense; veja
A repórter cobria uma operação do exército israelense no campo de refugiados palestinos de Jenin, na Cisjordânia

Meta afirma que Rússia contratou robôs para divulgar informações em favor da guerra
Mais de mil contas que propagavam informações em favor da invasão à Ucrânia foram suspensas

Aviões de guerra da China voltam a sobrevoar Taiwan, um dia após visita de Pelosi
A viagem gerou uma das maiores crises diplomáticas recentes entre China e Estados Unidos

O conflito iniciou após dias de tensão que seguiram a prisão de um militante palestino na parte da Cisjôrdania ocupada por Israel. O primeiro-ministro israelense, Yair Lapid, afirmou que os ataques visam remover ameaças contra civis e cidades israelenses do sul. “Israel não quer uma campanha em Gaza, mas também não tem medo dela”, disse Lapid.

Veja um vídeo do sistema em funcionamento nesta sexta-feira

O líder político do Hamas, grupo que controla o território palestino em Gaza desde 2017, culpou Israel pela escalada de tensão com a Jihad Islâmica e indicou que Tel Aviv será um alvo. “A ocupação (Israel) ultrapassou a linha vermelha e chegou a hora de ensinarmos uma lição”, disse o porta-voz do Hamas em Gaza, Hazem Qassem. “Agora não há linhas vermelhas nem mediação”, afirmou em comunicado. 

O exército de Israel comunicou que o ataque foi preventivo e que os alvos estariam preparando um ataque contra o país. Os alvos, segundo a instituição, foram bases militares e prédios usados pela Jihad Islâmica. Segundo o porta-voz do exército, Richard Hecht, a "operação ainda não acabou".

Segundo O Globo, mais de uma centena de mísseis foram disparados de ambos os lados. O ministro da defesa de Israel, Benny Gantz, anunciou que cerca de 25 mil militares da reserva serão convocados. O sistema de defesa antimísseis de Israel, o Iron Dome, foi ativado, inclusive em áreas ao redor de Tel Aviv e Jerusalém.

(Estagiário Gabriel Mansur, sob supervisão do editor executivo de OLiberal.com, Carlos Fellip)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO