Presidente do Remo cogita mudança de data para a reabertura do Baenão

Segundo Fábio Bentes, os laudos são os principais problemas encarados pelo clube

Redação Integrada

Faltando 12 dias para a reabertura do Baenão, marcada para o dia 6 de julho, o Remo corre contra o tempo para conseguir as liberações do estádio Evandro Almeida. Em entrevista ao OLiberal.com, o presidente azulino, Fábio Bentes, acredita na reinauguração diante do Juventude-RS, mas também analisa em adiar a um pouco a volta ao Baenão.

Fábio Bentes falou das obras, laudos e dos tempos em que cada órgão de segurança dispõe para emitir as autorizações para a reabertura do estádio remista.

“O Baenão está praticamente concluído, nesta segunda (24) ou no máximo na terça-feira (25), as obras serão concluídas na integralidade. Na quarta-feira (26), vamos receber as visitas dos órgãos de segurança, para que eles deem uma olhada em relação as observações que eles já tinham feito na visita anterior. Agora vamos depender dos tempos dos laudos, pois existem as burocracias de cada órgão como Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e a própria CBF precisa mandar um emissário para verificar”, disse.

O mandatário remista já pensa em uma possível mudança de data da reabertura do estádio, caso não consiga os laudos.

“Eu acredito que ainda dê tempo para o jogo contra o Juventude-RS. Caso não tenha tempo contra o Juventude-RS, fica para o próximo jogo, que é uma semana depois, contra o Luverdense. Só adiamos uma semana. Mas que iremos voltar para casa, isso eu não tenho dúvida”, frisou.

Para a partida de reabertura do Baenão, o Remo já vendeu mais de 9 mil ingresso, com preços que variaram de R$80 a R$100. Os bilhetes ainda podem ser adquiridos nas lojas do clube.

Em 2013 parte do estádio azulino foi derrubada para a construção de camarotes e cadeiras, mas o projeto não saiu do papel. Em 2014, o Remo realizou a última partida oficial no Baenão. No dia 1 de maio, o Leão venceu o Independente de Tucuruí por 4 a 0, pela semifinal do Parazão. Desde então o time azulino nunca mais atuou oficialmente no Evandro Almeida.

Neste período pequenas obras foram realizadas pelas diretorias que passaram pelo clube, mas nada grandioso. Em 2017 os torcedores decidiram tomar à frente das obras e foi criado o projeto “Retorno do Rei”, que realizou boa parte da reforma do estádio.

Remo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!