Em Belém, lateral acerta salários com o Remo e diz: ‘faltam detalhes para assinar’

Fabio Will

O mercado do futebol segue quente e o Remo, aos poucos, vai conseguindo fechar acordos com os novos contratados. A diretoria azulina busca peças visando encorpar o elenco para a disputa da Série C e um jogador que está com um pé na Toca do Leão é o lateral esquerdo Marlon.

Marlon estava atuando pelo Santo André-SP e pensa em retornar ao clube paulista para terminar o estadual, porém, já acertou com a diretoria do Remo as bases salariais e o contrato está sendo avaliado por seu empresário.

“Tive uma conversa com representantes do Remo e expliquei a situação. Tenho um valor a receber no Santo André, recebi a informação que vão tentar terminar os estaduais e aí iniciar o Brasileiro, então o Remo concordou que viesse para a Série C. Acertamos as bases salariais e o contrato está sendo analisado por meu empresário, faltam detalhes para assinar”, disse.

O jogador de 34 anos está em Belém treinando em casa. Paraense, Marlon não esconde o desejo de retornar ao Remo e cita “dívida” com o clube, já que defendeu o Leão por três anos.

“O Mazola conversou comigo, já trabalhei com ele e passa confiança. Conversei com minha esposa e minha mãe e quero voltar a Belém, pois tenho uma dívida eterna com o Remo, sei que quando eu estive aqui eu poderia ter ajudado mais, quero ajudar nesse projeto de reconstrução, pois foi clube que me lançou para o futebol. Se hoje eu tenho uma vida estável, dou graças a quem me abriu às portas”, disse.
REFERÊNCIAS

Marlon adiantou que conversou com pessoas próximas ao clube e recebeu referências boas, diferente do tempo em que vestiu a camisa azulina.

“No futebol é muito como conversarmos com outros jogadores, amigos sobre o clube. O Mazola me falou do momento do Remo, atletas falaram super bem da diretoria, presidente Fábio Bentes, quem eu não conheço pessoalmente, além da estrutura do clube que mudou bastante. Então tudo isso pesa na hora de escolher onde você jogar. Conheço a pressão que é atuar no Remo”, finalizou.

CARREIRA

Com o início de carreira no Pinheirense, de Icoaraci, Marlon jogou a Segundinha e foi levado pelo técnico Carlos Lucena para a Tuna. Destacou-se na Águia Guerreira e foi jogar na Bélgica, mas não se adaptou e decidiu retornar a Belém, quando fez um teste no Remo com o técnico Bagé, em 2007 e ficou. Defendeu o Castanhal e retornou ao Leão permanecendo até 2011. Depois rodou o Brasil, passando pelo Vila Nova-GO, Novo Hamburgo-RS, Criciúma-SC, Vasco-RJ e retornou a Belém para jogar no Paysandu. Antes do Santo André, jogou a Série B de 2019 pelo Tigre de Santa Catarina.

Remo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES