Treinador do Paysandu sobre áudio vazado de diretor: 'Já dei esporro em jogador em inglês, árabe, espanhol'

Hélio dos Anjos minimiza episódios que tumultuam a semana bicolor antes da estreia na Copa do Brasil e do primeiro Re-Pa do ano

Nilson Cortinhas

O estilo do treinador do Paysandu, Hélio dos Anjos, permanece o mesmo, apesar do clima instável que se estabeleceu na Curuzu após a derrota para o Castanhal e o vazamento de áudios que expõem o diretor de futebol, Felipe Albuquerque.

Enfático, Hélio dos Anjos foi à imprensa nesta terça-feira e contou muita história ao longo dos seus mais de 30 anos como treinador de futebol profissional. Aliás, a respeito do vazamento do áudio, Hélio foi definitivo. O treinador argumentou que o assunto não vai tumultuar o ambiente do Papão. "De jeito nenhum". Além disso, ele falou sobre o jogo contra o Brasiliense e adiantou um titular: o meia Uchôa.

Confira a entrevista abaixo:

Brasiliense
Time tem qualidade com os jogadores, com o treinador. Precisamos ter atenção. Vamos ajustar algumas coisas.

Time titular
Uchôa vai jogar e vai iniciar o jogo. Isso eu garanto. No mais, vou tentar reposicionar o meu meio de campo. Quero tirar mais de dois jogadores que já estão melhores fisicamente. Não vou citar quem são. Terei uma equipe titular forte.

Decisão
Falei muito pouco do passado. É uma semana diferente. Acredito que não vamos errar. Porque é decisão. Só não estou gostando dos 45 minutos, 50 minutos finais.

Copa do Brasil
Derrota tem que assimilar rapidamente, assim como a vitória. Quero chegar no Paysandu até onde fui na Copa do Brasil onde meu clube faturou R$13 milhões.

A Copa do Brasil é o jogo mais importante até quinta-feira. Gosto de semana assim. Melhor coisa é jogar contra equipes fortes. Para nós é decisão mesmo.

Caso Felipe Albuquerque
De maneira alguma (vai prejudicar). O treinador é para raio. A responsabilidade é minha. Eu assumo. Todos os problemas citados vivenciei dentro do clube. Conversei com o Ricardo. Não conversei com o Felipe ontem. Trabalhamos os jogadores. Hoje de manhã, houve um papo do Felipe, da direção, com os jogadores. Tudo muito tranquilo.

O Felipe falou de uma forma que dei esporro? Já dei esporro em jogador em árabe, inglês, espanhol e português. É a minha forma de trabalhar. E tudo foi as vésperas de uma semana decisiva. Do jeito que está,  vai aparecer uma coisa minha (...) Eu dou treino e decido tudo relacionado ao meu time.

Confiança
Assistir todo jogo contra o Castanhal. E vi os vídeos duas horas depois do jogo. Conversei com os jogadores. Contra imagens, não há argumentos. Agora nenhum jogador perdeu a minha confiança. Há críticas positivas e há críticas degenerativas. Futebol tem uma coisa boa: tem o próximo jogo.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES