Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Esmac e Paysandu fecham o campeonato paraense de futebol feminino decidindo o título da temporada

Papão quer brecar a sequência de conquistas da equipe universitária

Braz Chucre

Esmac e Paysandu partem para o jogo final do Campeonato Paraense de futebol feminino de 2020. A decisão será dia 17, uma terça-feira, no estádio olímpico Mangueirão, a partir das 15h.  É jogo único, sem vantagem. Por essa razão, em caso de empate no tempo normal, o campeão sairá por meio das cobranças de penalidades.

Desde que implantou o futebol feminino na grade de atividades desportivas, a Esmac sempre marcou presença nas finais do campeonato estadual. Uma situação que se repete invariavelmente desde 2009, como atesta Mercy Nunes Rodrigues, há dez anos no comando técnico do time azul/amarelo da Cidade Nova. Neste período são cinco títulos conquistados, além de três vices. O primeiro campeonato ganho aconteceu em 2012. Depois veio os de 2016, 2017, 2018 e 2019, todos eles invictos, sem derrotas.

Se ganhar novamente o campeonato, a Esmac se iguala ao feito do Independente, da Marambaia, que foi campeão seis vezes.

Afirmação

Nos anos de 1980, o Paysandu foi o time a ser batido dos gramados com três títulos consecutivos: 1984, 1985 e 1986. Depois, o futebol feminino bicolor foi extinto, porém, voltou em 2016. Neste ano, decidiu o título com a Esmac e saiu derrotado nas cobranças de penalidades [4 a 1] após o empate de 1 a 1.

Foi única vez do Papão numa final nos quatro anos de gestão da técnica Aline Costa que possui um currículo invejável com cinco títulos sendo quatro estadual e um nacional.

Aline, de 38 anos, começou jogando no futsal e em seguida passou para o futebol de campo. Ela se distingue pela sua ousadia, estratégia na formação tática da equipe. Agindo assim. foi campeã pela Tuna três vezes e duas pelo Pinheirense, sendo um nacional, A2 no ano de 2017.

Chegar até a decisão com a Esmac não foi nada fácil. O time estava numa situação crítica na tabela, mas tudo virou com a vitória sobre o Remo nos acréscimos. A goleada em cima do Cabanos deu a moral necessária para o time encarar a Esmac como todo respeito como Aline ressaltou. “É preciso ter bastante respeito pela Esmac ganhadora dos quatro últimos campeonatos. Chegamos a decisão como primeiro lugar no quadrangular, então é uma questão de muita responsabilidade da equipe. Estamos nos preparando. O nosso trabalho está sendo compensado”, destaca.

Invencibilidade

Mercy Nunes, professor de educação física, também comanda o time de futsal adulto e Sub-18 da Esmac. A maioria das jogadoras jogam campo e futsal. É uma família azul/amarelo, como ele define sua companhia de atletas. Mercy não se lembra quantas vezes perdeu em campo para o Paysandu, contudo, recorda que em 2019 saiu-se invicto. “Nós ganhamos o jogo de abertura do quadrangular por 4 a 1, mas não queremos dizer que somos favoritos na decisão. Será uma partida parelha e quem souber aproveitar as melhores chances ganha”, aponta.

Do atual elenco do time universitário, duas atletas são remanescentes do primeiro título do ano de 2012: Sara e Lora Soure, capitã da equipe. Ambas são formadas em educação física pela própria instituição de ensino.  

 

Campanha

Esmac

7 jogos realizados

4 vitórias

3 empates

0 derrota

27 gols marcados

5 gols sofridos

 

Cássia, atacante, é a artilheira do campeonato com 9 gols.

 

Paysandu

7 jogos realizados

5 vitórias

1 empate

1 derrota

22 gols marcados

8 gols sofridos

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM PAYSANDU

MAIS LIDAS EM ESPORTES