Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Representante do Pará no Brasileiro de Fisiculturismo Feminino, Lena Sousa relembra trajetória e dá dicas

A paraense de 33 anos detalha rotina de treinamentos, cuidados com a alimentação e conta os primeiros passos no esporte

Dinei Souza

O fisiculturismo - ou bodybuilding, em inglês - é uma modalidade competitiva de musculação em que o objetivo é obter a mais perfeita simetria com o aumento da massa e definição muscular, conforme a categoria a ser disputada. A massoterapeuta e personal Maria Eudilena de Sousa Morais, 33 anos, conhecida pelo público como Lena Sousa, é uma das representantes do Pará no 52° Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo feminino, que teve início no dia 28 e vai até 31 de julho na cidade de Vitória (ES).

Lena iniciou na modalidade aos 27 anos e tinha como meta principal ser campeã paraense, para representar o Estado nos campeonatos país afora. A atleta, que é tetracampeã paraense e tricampeã norte e nordeste, concedeu entrevista a O Liberal antes de viajar para a competição e falou sobre o início no fisiculturismo, rotinas de treinamentos, alimentação e dificuldades para participar dos eventos. Confira:

O Liberal (OL): Quando despertou o interesse pelo fisiculturismo?
Lena Sousa (LS): Quando presenciei a preparação e a dedicação do meu esposo, durante a preparação dele. Me encantei com tanta força e disciplina, sem falar na coragem de competir.

OL: Com que idade começou e qual era o foco principal?
LS: Comecei aos 27 anos. Meu foco principal era ser campeã paraense e representar o nosso Estado nos campeonatos afora.   

OL: Como é a rotina de uma atleta do fisiculturismo? Alimentação, dias treinos, trabalho psicológico e etc.
LS: Acordo às 4h da manhã, faço meu cárdio na praça Batista Campos, depois arrumo minha casa e preparo minhas marmitas de refeição, não posso esquecer delas. Dou aula das 6h às 9h e vou para faculdade às 10h. Volto às 12h e treino das 13h às 14h, retorno ao trabalho às 14h30 e vou até as 22h. Volto para casa, faço minha última refeição e descanso. Meu psicólogo é Deus, eu sempre converso com ele antes de começar minha preparação para que tudo dê certo. Ele tem o melhor para mim, sempre.  Minha mente está preparada para não sofrer, não importa se ganhar ou perder, sempre darei meu melhor.

OL - Você recebe patrocínio? Quais profissionais te ajudam na preparação?
LS: Não! Recebo ajuda da Família, amigos e seguidores que sempre me ajudam como podem. Mas quem sempre esteve comigo e nunca me abandonou é minha ex-professora Edivane Maria Barros Campos, que sempre acreditou em mim desde minha adolescência. Os profissionais que sempre me ajudam são meu coach Roberto Costa, ele dá a direção em minha preparação; meu esposo é quem me treina. Não tenho nutricionista, meu coach cuida de tudo.

OL: Lena, recebes críticas por praticar esta modalidade ou sofre preconceito?
LS: Antes, muitas. Hoje, poucas (risos), mas nada me abalou, pelo contrário, me deixaram mais fortes.

OL: Em que lugares o fisiculturismo já te levou?
LS: Ele poderia me levar a vários lugares, mas, devido à falta de patrocínio, só consegui ir até Goiânia, no Campeonato Brasileiro, onde ganhei o top 4, que seria o 4° lugar. Consegui ficar entre as melhores. E agora o Campeonato Nrasileiro em Vitória (ES).

OL: Qual sua expectativa para o Brasileiro no Espírito Santo?
LS: É trazer o título para o nosso estado. Trabalhei muito para isso, mas que seja feita a vontade de Deus, que a vontade dele prevaleça, vamos em busca do título.

Lena Sousa fisiculturismo fisiculturista

Principais campeonatos e categorias:

♦ Bikini Fitness

A categoria Bikini é a que mais tem popularidade no fisiculturismo feminino atualmente. As competidoras, são julgadas por aspectos como a atitude no palco e aparência física geral (contando pele, musculatura, etc). As subcategorias são por altura.

O mais importante é ter uma estrutura equilibrada. A cintura, deve ser pequena, preferencialmente. Já com relação às pernas, são mais valorizadas as mais longas e mais torneadas.

♦ Body Fitness

Essa é uma das categorias que mais exige em termos de musculatura desenvolvida. Necessita aos mesmo tempos das competidoras que tenham coreografias para apresentar aos jurados, os quais irão avaliar.

Valoriza-se mais, nesta categoria, um alto volume muscular, com tônus simétrico. Ombros largos, pernas fortes e tudo isto bem malhado. Seu percentual de gordura deve ser o mais baixo possível, quase 0. Cabelo e beleza facial são valorizados também.

♦ Wellness

Este é mais específico das competições realizadas no Brasil. A categoria Wellness também valoriza mais um corpo bem sarado. Ter um baixo percentual de gordura e as coxas e glúteos bem malhados é o principal. Assim como outras categorias, também tem modalidades por altura.

♦ Women’s Physique

Nesta categoria de fisiculturismo feminino, a mulher deve dar um valor mais elevado à musculatura. Seu desenvolvimento e sua definição devem ser extremos, respeitando ainda uma certa feminilidade, principalmente em volume e silhueta.

Os critérios de avaliação em competições:

  • Proporção
  • Silhueta
  • Volume
  • Definição
  • Postura
  • Como caminha
  • Poses

Dicas para começar

Em primeiro lugar, o processo de ganho de construção de um físico harmonioso é árduo e requer muita disciplina, paciência e disposição para se dedicar para obter os resultados. Não menos importante, deve-se procurar um acompanhamento profissional para ter sucesso no fisiculturismo independente da categoria.

  1. Dedique-se a uma categoria: se você prefere uma ou outra categoria do fisiculturismo feminino e deseja competir, dedique-se a ela. Assim, você poderá potencializar os resultados.
  2. Procure profissionais: personal trainer, nutricionista e acompanhamento médico são indispensáveis no fisiculturismo feminino. Eles saberão quais exercícios indicar e suplementos para tomar, por exemplo.
  3. Adeque sua rotina: uma rotina pesada de treinos e que exige dedicação diária, é assim que funciona o fisiculturismo feminino. Uma periodização de treinamento é essencial para que possa construir uma boa base, ter condicionamento e um construção muscular simétrica não só pela questão estética, mas para prevenir futuras lesões, já que também se corre esse risco em atletas do fisiculturismo.
  4. Alimentação: saber o que comer e o que evitar é o que vai ajudar a definir questões como o percentual de gordura e os nutrientes que chegam à musculatura, um erro pode definir sua colocação nas competições. Qualquer praticante de musculação precisa ter a dieta, treino e descanso alinhados, no entanto, a alimentação para uma atleta de fisiculturismo feminino não pode correr risco, principalmente em períodos que antecedem as competições.
Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES