Copa do Mundo 2022: jogadores do Irã silenciam e torcida vaia o hino, em jogo contra Inglaterra

Protesto ocorre por conta da tensão vivida no país do Oriente Médio, onde mulheres têm sido alvo da violência por parte do governo

Luiz Guilherme Ramos

O jogo entre Irã e Inglaterra, pelo grupo B da Copa do Mundo, teve o primeiro registro de protesto pelos direitos humanos. Diante das tensões vividas no país, os jogadores decidiram não cantar o hino nacional, em demonstração de apoio às mulheres do país, que vêm sofrendo severas perseguições, desde a morte de uma mulher, por não usar o jihad da forma correta. 

As duas seleções jogam nesta segunda-feira, no estádio internacional Khalifa, em Doha. Além dos atletas, a torcida presente no estádio também se manifestou através de uma sonora vaia, na hora que o hino iraniano tocava. Torcedores do Irã, bem como de outras nações, também manifestaram apoio à causa, já que pelas leis do país, as mulheres são proibidas de frequentar estádios de futebol. 

SAIBA MAIS

Copa do Mundo 2022: sem Sadio Mané, Senegal recebe a Holanda; trio brasileiro apita o jogo
A partida terá uma baixa significativa para os senegaleses, já que o principal jogador do time está fora da Copa, enquanto a Holanda retorna depois da ausência na Copa da Rússia, em 2018


Copa do Mundo 2022: Jojo Todynho elege os 8 jogadores mais gatos; confira a lista
Jojo Todynho fez sua estreia como comentarista do "Central da Copa" ao lado de Alex Escobar e Fred; veja o ranking dos mais gatos


Confira a tabela completa da Copa do Mundo 2022 com dias e horários dos jogos
Mundial iniciou no domingo (21/11) com jogo entre Catar e Equator, veja

Faixas com palavras como "mulher", "vida" e "liberdade" foram vistas por todos os cantos. Alguns cartazes atacam o governo, com frases sobre a seleção do país estar apoiando os desmandos do governo. Desde que uma jovem foi morta, sob custódia da polícia do país, os protestos eclodiram. Em solo iraniano, os atos são duramente reprimidos pelas autoridades. 

Sobrou até para o treinador do Irã, o português Carlos Queiroz, que se recusou a responder uma pergunta de um jornalista inglês, sobre como ele se sente ao representar um país que desrespeita os direitos humanos. Queiroz disse que não poderia falar, pois não é bem pago para isso e disse também que a própria Inglaterra não respeita os imigrantes. 

 

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM FUTEBOL

MAIS LIDAS EM ESPORTES