Em alta no Rio, Pikachu fala de Paysandu, brega e açaí: 'Amo a minha terra'

Yago Pikachu entrou no top 5 de jogadores que mais vestiram a camisa do Vasco no século.

Redação Integrada

Yago Pikachu está cada vez mais no coração do vascaíno e do carioca. O paraense chegou na marca de 200 jogos com a camisa do Gigante da Colina, figurando entre os 5 atletas que mais entraram em campo pela equipe cruzmaltina no século. No quarto ano em São Januário, Pikachu conheceu pela primeira vez o Cristo Redentor, grande ponto turístico do Rio de Janeiro, mas não esqueceu o Pará e as origens.

Em um quadro da Vasco TV, o ídolo do Paysandu levou a família até o cartão postal e comemorou marcas importantes na carreira, como se tornar o lateral com mais gols na história vascaína, superando Felipe, mas novamente fez questão de relembrar e agradecer o Papão.

"Tive essa marca também com a camisa do Paysandu, clube que eu tenho muito carinho, que abriu as portas para tudo isso que estou vivendo aqui. É fantástico estar na história de um grande clube como o Vasco da Gama. Eu espero que essas marcas possam ser ampliadas, de jogos e de gols, para que no futuro todo mundo possa lembrar de mim", contou.

Reconhecido no mundo da bola por ser um ‘bregueiro’ nato, Yago também falou do brega-funk, mistura do ritmo paraense com funk, tradicionalmente tocada nas festas de aparelhagem, em Belém. Segundo o camisa 22 do Vasco, a melodia virou sucesso no vestiário em dia de jogos.

"Tem coisas boas lá (Belém). Hoje em dia é uma febre principalmente no nosso vestiário, antes dos jogos, pós-jogos. A gente aproveita da melhor maneira. Tem meu conterrâneo no grupo, que também puxa essa fila, que é o Rossi".

Por falar em Rossi, o também paraense de Prainha pode ser considerado um dos fatores para o bom ambiente que cerca o lateral-artilheiro em São Januário. Além da afinidade com um conterrâneo, o famoso açaí paraense une os dois atletas.

"Ter meu conterrâneo do lado fica mais fácil. Chega nosso açaí de mês em mês, a gente divide. Aliás, ele está para me mandar dois litros, ainda não me mandou. Estou esperando até hoje. Gratificante ter um conterrâneo aqui. Ano passado tinha o Giovani Augusto, então isso mostra que tem coisas boas lá no Pará", ressalta Yago.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Parabéns a todos por acreditar até o fim. Boa conterrâneo @gioaugusto10 👏👏💢.📸 @dhavidnormandofotografia

Uma publicação compartilhada por Yago Lisboa (@yagopikachu02) em

 

Durante o passeio, o jogador foi parado por vários torcedores para fotos, inclusive por flamenguistas, adversários do Vasco nesta quarta-feira (13), pela Série A. Perguntado sobre a ponte área Belém-Rio de Janeiro, o lateral garantiu que existe espaço no coração para as duas cidades.

"Eu amo minha terra. Qualquer folga no clube, o primeiro lugar que penso é em Belém. Até pelos meus pais, meus pais pouco vêm aqui, uma ou duas vezes no ano. Eu vou lá visitar eles e os amigos. Essa cidade aqui (Rio de Janeiro) é maravilhosa. Meu coração fica dividido. Minha filha menor, a Luiza, nasceu aqui, é carioca, então já tenho um vínculo forte com o Rio de Janeiro", finalizou.

Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES