Desportiva aciona Pleno do TJD e não desiste de recurso

Processo questiona Paraense, que teria utilizado jogadores irregulares na segundinha

Redação Integrada

Embora o Campeonato Paraense da Segunda Divisão já tenha até o campeão, o Tapajós, que ascendeu à Série A ao lado do São Francisco, um novo episódio jurídico pode tumultuar. O diretor de futebol da Desportiva, Carlos Henrique, confirmou que o clube entrou no Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Pará, com Notícia de Infração em desfavor ao Paraense, clube que o eliminou na disputa da Segunda Divisão do Campeonato Paraense. "Recorremos a última instância. Caso venha a ser negado, vamos ao STJD atrás dos nossos direitos. Por causa da irregularidade do Paraense, não podemos ser prejudicados", afirmou Carlos Henrique. 

O caso 
O processo questiona a regularidade de vários jogadores do Paraense. A Desportiva foi eliminada do Campeonato Paraense da Segunda Divisão de forma surpreendente, ao tomar uma goleada de 6 a 0 para o Paraense. No entanto, o resultado da partida foi questionado por conta de uma suposta irregularidade de jogadores do Paraense.


No início de novembro, a Desportiva acionou o Tribunal de Justiça Desportiva por meio de uma notícia de infração disciplinar em que solicita a exclusão do Paraense por ter desrespeitado o capítulo 3  Artigo 5 do regulamento da segundinha, que preza que 'Após estrear na competição, cada equipe têm o direito de inscrever no máximo 10 (dez) novos atletas, desde que o nome do novo atleta esteja publicado no BID/CBF até o dia 09/11/2018'. 


Segundo a denúncia, o Paraense estreou na competição no dia 08/10 às 15h30. E após o jogo de abertura, inscreveu no Boletim Informativo Diário 15 atletas, sendo que todos foram relacionados e atuaram no campeonato. Os jogadores mencionados na disputa jurídica são Moisés, Rafinha, Rafael Tanque, Paulo César, Ronny, Italo, Douglas, Claydir, Alessandro, Marquinhos, Deco, Juba, Léo Pará, Welton e Juninho Magrelo.

Esportes