Após polêmica de Hélio dos Anjos, presidente do Paysandu dispara: 'Cobro do porteiro ao técnico'

Ricardo Gluck Paul deu entrevista coletiva nesta terça-feira (15)

Andreia Espírito Santo

Acompanhado de parte da diretoria, o presidente do Paysandu, Ricardo Gluck, protagonizou uma entrevista coletiva no estádio da Curuzu nesta terça-feira (15), após a surpreendente crise que se instalou no clube. O treinador Hélio dos Anjos pediu para sair, alegando quebra na confiança na relação com a diretoria, citando Ricardo Gluck Paul e o diretor executivo, Felipe Albuquerque. 

Na visão de Ricardo Gluck Paul, três fatos foram essenciais para o pedido de demissão. Primeiro, uma cobrança da diretoria em função de resultados inesperados, entre eles, a derrota para o Paragominas e para o Jacuipense-BA. Depois, uma suposta tentativa de tirar o Nicolas do jogo contra o Imperatriz-MA. Por fim, uma ideia de Hélio dos Anjos acerca de uma não confirmada busca da diretoria de um novo treinador, ainda no sábado (12). 

Leia os trechos da coletiva: 

"A razão de estar aqui é pela saída do Hélio dos Anjos. Que foi um pedido de demissão por parte dele que me surpreendeu hoje de manha. Não era algo esperado. Em razão de alguns fatos, me senti motivado para fazer a coletiva e explicar o que esta acontecendo. Primeiro fato é nao cometer erros do passado. Eu, no ano passado, com o Brigatti (João Brigatti, treinador), adotei uma postura que já disse que me arrependi de ter combinado versão de desligamento. A partir disso, falei: vamos trabalhar com verdade. A torcida do Paysandu merece saber e doa a quem doer. E quando falo isso eu me incluo, não mando recado para ninguém". 

"Segundo ponto é ver o rumo da interpretação equivocada de algumas falas do professor Hélio e algumas conclusões equivocadas por parte de algumas pessoas que tenho acompanhado na rede social. E eu devo sim satisfação para minha torcida e para ela que vou falar". 

Período

"Com o Hélio dos Anjos, fizemos um ano e quatro meses em cima de um projeto que nós construímos juntos. E teve o projeto 2020 que mirava o campeonato estadual e o acesso para Série B. Helio foi o treinador mais longo da história do Paysandu desde 2013 pra cá"

"Não houve uma contratação que não foi avaliada pelo Hélio e pela diretoria de futebol". 

Cobrança

"Ele (Hélio) disse que estava incomodado com a minha cobrança e com o ambiente de que todos eram técnicos do Paysandu. E eu falei que sou presidente do Paysandu. E cobro do porteiro ao técnico. E eu disse que concordava com ele. No sentindo de todos terem virado técnico de futebol. Agradeço ao professor Hélio pelo que chamo de primeira etapa do planejamento. Mas futebol a gente olha também pra as datas mais próximas. E pós quarentena, o Paysandu vem com números que justificava ambiente de cobrança na Curuzu

"Fomos para o jogo contra o Vila e perdemos por 2 a 1. E nessa altura estávamos fora da final do Parazão e com risco de cair para Série D. Na opinião de muita gente. Eu estou colocando o ambiente de pressão que foi se construindo. Aí o Paysandu vai jogar em Manaus e perde. Um dos piores jogo do Paysandu. E eu falei no vestiário que teríamos um jogo dificil pelo estadual. Vão começar a plantar que teve briga entre a e b. E eu disse que tinha convicção que iríamos reverter contra o Paragominas. Ai o Paysandu ganhou os jogos e foi campeão paraense. Quando o Paysandu perde, toda a cidade pede a cabeça do Hélio. E o presidente segurou com convicção e segurança

Crise

"E veio a crise depois da goleada. Paysandu ganha de 6 a 1. E sou surpreendido por uma entrevista desastrosa. Ele diz que não gostou da cobrança. Depois ele fala das contratações. O que na minha visão não é local para discutir. E a unica coisa que eu me furto e ele foi cobrar a contratação de zagueiro.

"E o ponto principal foi dizer que, nesse ambiente hostil, de cobrança, e disse que tentaram tirar o Nicolas de campo. Ele disse para o elenco que iriam contratar um treinador do lugar dele. Fiz uma reunião. Falei sobre o fato de lavar roupa com a imprensa, sendo que ele disse que tentaram tirar o Nicolas de campo. Eu digo 'Quem foi? Se vc me disser que foi o Felipe, ele está demitido nesse momento. Se for alguém do DM, está desligado, ou fisioterapeuta também está desligado. E o Hélio me disse que o filho (Guilherme dos Anjos, auxiliar-técnico) ouviu que o Felipe teria dito que estariam esticando a corda do Nicolas. E o Felipe disse que não falou isso. Mas admiti que isso teria sido dito. Eu disse que não vejo problema nenhum nisso. E é natural um diretor se preocupar com isso. Eu preciso que me traga situações relevantes para  justificar que tentaram tirar o Nicolas de campo".

"Talvez na cabeça dele pensaram que estivéssemos armando para tirá-lo do Paysandu. Mas não preciso torcer para o Paysandu perder o jogo para mandar técnico embora. Até porque já tiramos técnico invicto do Paysandu. Foi uma semana onde o técnico se sentiu pressionado a ponto de imaginar uma situação dessa

Bombeiros

"Quando ele diz que tentaram tirar o Nicolas de campo, que o DM atrapalhou, que estavam ligando para técnico, e que estavam armando para ele, acho que realmente ele acreditou. E eu disse que a Curuzu estava precisando de mais bombeiro na Curuzu e não o contrário"

Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES