Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Reservas para o Círio já chegam a 70% e animam setor de hospedagem

Alguns estabelecimentos devem ter faturamento quatro vezes superior ao do ano passado

Elisa Vaz

A pouco mais de dois meses do Círio, que usualmente atrai turistas do Brasil e do exterior para a capital paraense, o setor hoteleiro já observa grande movimentação na procura por reservas, com cerca de 70% das vagas já sinalizadas para ocupação, ou seja, quando o cliente faz a reserva, mas não efetua o pagamento ainda. Os 30% restantes já têm reservas pagas. Esta é a primeira vez que a festa religiosa será realizada em sua plenitude desde que a pandemia da covid-19 começou, em 2020.

VEJA MAIS

Círio 2022: Prefeitura de Belém e Diretoria de Festa planejam ações para a festividade deste ano
Demandas relacionadas à iluminação e calçamento das ruas foram apresentadas nesta quarta-feira (3), em uma reunião entre representantes de Seurb e da DFN

Representante do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Pará (SHRBS), Fernando Soares diz que a expectativa da categoria é boa, e o movimento deve ser próximo ao de 2019, chegando a 800 mil a um milhão de pessoas. “Certamente, será melhor que nos dois últimos anos de pandemia, que não tínhamos possibilidade de fazer a festa. Esse ano, com a realização do Círio nos moldes tradicionais, é evidente a procura será muito maior, embora ainda não se equipare à de dois anos atrás”, comenta.

Como o setor ficou prejudicado com a falta de turistas, Fernando afirma também que os preços estão “congelados” e que a categoria prefere não aumentar tanto os valores para não afastar os hóspedes. Até agora, ele ainda não viu meios de hospedagem com pacotes muito diferentes, mas, geralmente, nessa data, os empresários vendem um combo reunindo as procissões, trasladação e o próprio Círio. Ele acha que isso será facilmente encontrado em outubro na capital paraense.

Movimento em hotel está abaixo do esperado

Em um do hoteis de Belém, a procura está ocorrendo, mas não com a força de anos anteriores à pandemia. A gerente geral da empresa, Izabelle Maia Lauzid, afirma que vários grupos já fecharam a compra de reservas, mas quando se trata de hóspedes particulares, o movimento ainda está tímido. Até o momento, cerca de 60% das vagas estão ocupadas.

“Ainda estamos experimentando um cenário atípico. Nossa expectativa para o Círio é sempre muito positiva. Nosso hotel tem uma característica um pouco diferente, porque o maior volume das nossas reservas, normalmente, se consolida de dois a três dias antes da data. No Círio é diferente: as reservas costumam ser feitas com bastante antecedência, mas neste ano estamos contando com a procura mais em cima da hora. Se fizermos um  comparativo com os anos anteriores à pandemia, a procura está abaixo do esperado”, diz.

Mesmo que as vendas não estejam se comportando da forma que a empresa almejava, deve haver uma explosão na procura por vagas entre os meses de agosto e setembro para o período do Círio, de acordo com Izabelle. Caso isso realmente se configure, a expectativa dela é que o hotel tenha um incremento de pelo menos 30% no faturamento de outubro.

Com o aumento nos custos de insumos, como amenities - cosméticos disponibilizados para os hóspedes - e alimentação, os preços dos quartos também subiram. “Não temos como fugir da revisão de valores ano a ano, mas a nossa filosofia é de procurar oferecer um serviço econômico, com qualidade e conforto”, garante a gerente. Em anos anteriores, o diferencial do hotel para o período da festa era um sábado com tradicional tacacá no final da tarde. As ações para 2022 ainda estão sendo planejadas.

Faturamento em hostel deve crescer 200%

A expectativa de que todas as reservas sejam ocupadas em outubro é grande em um hostel da capital paraense, e com isso o faturamento mensal da empresa deve ser quatro vezes maior que o registrado no Círio do ano passado, segundo o proprietário, Fernando Mendes. “A procura está mais alta que nos dois últimos anos de pandemia, porque na época até conseguimos fechar quase tudo, mas em preço aquém do que estamos acostumados para o período, e também foi muito em cima da hora. Estamos acostumados a vender tudo no início do ano. Agora já estamos com 50% das vagas ocupadas para o fim de semana da festa”, conta.

O empresário acredita que a lotação máxima do hostel será alcançada com o Círio deste ano, mas que, na comparação com outros meses deste ano, o faturamento não vai ficar tão diferente, afinal, são apenas quatro dias em que o número de reservas deve ficar superior. Fora isso, segundo Fernando, será um mês normal. Os preços para este ano estão maiores que nos dois últimos, mas ainda abaixo do que era cobrado até 2019. A maior parte das vendas é feita por meio de sites de promoções, oferecendo um combo de três dias incluindo café da manhã.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA