Globo lança duas minisséries que estreiam em janeiro

"10 Segundos para Vencer" e "Elis - Viver é Melhor que Sonhar" reúnem elenco estrelado

Redação Integrada com informações da TV Globo

A tarde ensolarada da praia de Ipanema foi o cenário para apresentar duas minisséries que a Globo vai exibir a partir de 8 de janeiro: "10 Segundos Para Vencer", que conta a história do boxeador Éder Jofre, e "Elis- Viver é melhor que sonhar". O evento, realizado na quarta-feira, 5, reuniu autores, diretores e parte do elenco das duas produções. 

Bicampeão mundial de boxe, o brasileiro Éder Jofre disputou 81 lutas, com 75 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas, ambas por pontos. Antes de apresentar o clipe de "10 Segundos Para Vencer", o diretor José Alvarenga Jr e o roteirista Thomas Stavros, ao lado dos atores Daniel de Oliveira (Éder Jofre), Osmar Prado (Kid Jofre) e Sandra Corveloni (Angelina), falaram sobre a minissérie, um desdobramento do filme homônimo, coprodução da Globo Filmes com a Tambelini Filmes.

“A minissérie traz um rico material inédito. Com isso, aprofundamos alguns dramas, como os conflitos de Éder com o pai, Kid Jofre, que era também seu treinador”, explica José Alvarenga Jr. “Trabalhar com esse é elenco foi um presente. Escrever para eles é fácil. Eles colocam a alma e o coração nas palavras que a gente escreve. E o Alvarenga é um diretor super parceiro, que se envolve profundamente em todo o processo”, diz Stavros. 

A minissérie "10 Segundos Para Vencer" conta ainda com entrevistas documentais inéditas com Marcel Jofre, filho de Éder, com o comentarista de boxe Newton Campos e o com o ex-boxeador japonês Masahiro Harada, único adversário que derrotou o brasileiro. “Éder Jofre é um nome a ser reverenciado, que me emociona muito. Sua história merece ser vista, conhecida e fico muito feliz em contá-la na TV, para milhões de pessoas”, diz Daniel de Oliveira.

Osmar Prado, responsável por dar vida ao pai do boxeador, se emocionou ao falar do papel: “Fazer este trabalho foi mágico. Eu tinha 13 anos quando Éder Jofre se consagrou. Então, hoje, aos 71 anos de vida, interpretar esse papel me deixa muito alegre”. A minissérie destaca também a relação de Éder Jofre com a esposa, Cida (Keli Freitas), e a mãe, Angelina (Sandra Corveloni). “Abordar esse viés familiar é importante porque mostra esse lado bonito, de como eles enfrentaram tantas dificuldades”, acredita Sandra Corveloni. 

Elis Regina

Na sequência, a musicalidade e a história fascinante da vida e da carreira de Elis Regina contagiou o espaço. O diretor Hugo Prata e o roteirista George Moura apresentaram as primeiras imagens de "Elis – Viver é Melhor que Sonhar", que mistura cenas da cinebiografia “Elis”, uma coprodução da Globo Filmes com Bravura Cinematográfica e Academia de Filmes, com material documental e cenas inéditas de ficção, gravadas especialmente para a minissérie.

“Foi uma oportunidade incrível fazer a minissérie com tantas novidades, que incrementam não só o conteúdo, mas também o formato”, explica o diretor Hugo Prata. George Moura também destacou a importância de Elis Regina: “Foi um prazer fazer parte deste projeto e ampliar a visibilidade dessa mulher absolutamente extraordinária que foi a Elis. Além de trazer cenas ficcionais, que costuram a trama na TV, vamos exibir um farto material documental, que legitima ainda mais a sua grandeza e contextualiza o momento histórico do Brasil da época”. 

Andreia Horta, que gravou cenas novas como Elis Regina, e Mel Lisboa, que encarna Rita Lee em cenas exclusivas da minissérie, também estiveram presentes no evento, ao lado de Lúcio Mauro Filho, que interpreta o produtor musical Luís Carlos Miele. “É sempre um crescimento artístico e pessoal interpretar Elisa Regina. Contar sua história para tanta gente me deixou muito feliz”, disse Andrea.

Mel Lisboa conta como foi viver Rita Lee na televisão após ter feito, no teatro, um musical sobre a roqueira. “Foi uma experiência nova, apesar de já ter vivido a personagem antes. Eu e Andreia somos amigas e termos interpretado essas mulheres que admiramos é emocionante e especial demais”. Lúcio Mauro Filho falou sobre a emoção de interpretar Miele, de quem era amigo pessoal. “Este é um projeto cheio de afeto. Fico muito honrado de fazer parte disso. É um trabalho sobre Elis, de quem sou fã, e interpreto Miele, com quem tive uma amizade”, destacou.

Televisão