Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Paraense desenvolve jogo de cartas 'Aminozon Card Game' inspirados em animais e cultura marajoara

As cartas também podem ser colecionáveis. O jogo está em pré-venda pelo Instagram

Emanuele Corrêa

O paraense Webby Ramos criou um jogo de cartas "Aminozon Card Games", inspirado na franquia Pokémon e outros jogos de animação. Apresenta personagens humanos e animais paraenses, com inspiração na fauna, cultura e identidades amazônicas. As cartas também podem ser colecionáveis. O jogo está em pré-venda pelo Instagram.

Webby Ramos é ilustrador, designer e produtor de audiovisual, além de ser um grande fã da cultura pop e da cultura amazônica. Começou a desenvolver o jogo na graduação, no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de jornalismo, orientado pela jornalista e professora Arcangela Senna. "Tive a ideia de transformar um projeto de ilustração que eu tinha em um jogo. O 'card game' me pareceu a ideia mais viável, até porque eu sempre gostei de cartinhas desde criança. Comecei a estudar a arte marajoara, junto com as suas origens, os desenhos, assim como também o folclore do norte do brasil, além da fauna e flora da amazônia. Juntei isso a um conceito um pouco mais diferenciado para os novos Aminozons", revelou.

VEJA MAIS

Filha de Will Smith compartilha ilustração da artista paraense Thays Chaves
Retrato em aquarela feita por artista conhecida como Nazas ganhou mais de 16 mil curtidas e elogios em todo o mundo

O nome surgiu da junção das palavras "Animais" e "Amazônia", contou Webby. O jovem conta que trabalhou sozinho nas mais de 100 cartas de personagens. "A minha equipe sou eu. Finalizei o jogo recentemente, mas grande parte fiz na pandemia. Fiz todas as ilustrações e conceitos, assim como o design deles, das cartinhas. Assim como o desenvolvimento do jogo de cartas, as regras, o nivelamento dos poderes dos Aminozon", contou.

"Da embalagem até a parte de marketing digital, tudo eu fiz. Ainda bem que são todas áreas que estudei e procurei estudar ainda mais. O Jogo é formado das cartas e das moedas do jogo, os que parecem tazos são os stickers que são nesse formato redondinho", complementou dando dicas do jogo.

Aminozon Card Game é um jogo de cartas inspirado na Amazônia (Ivan Duarte)

A ideia inicial do projeto, relembra o ilustrador, era fazer uma "Fakemon", inspirado no Pokémon e animais da Amazônia, no entanto, ele reformulou o conceito e se inspirou em outros jogos, tais como, Digimon, Yu Gi Oh, Bakugan, mas propôs um diferencial, que seria um universo completamente novo dos demais. "Fui misturando a arte marajoara com essa o traço de anime. Todos os "MONS" me foram referências. O diferencial do jogo, é levar essa familiaridade pra quem gosta de pokémon, mas apresentar um mundo novo, uma nova forma de jogar, mais rápida, intuitiva, casual e ao mesmo tempo os jogadores competitivos podem se divertir também, sem esquecer do público que ama só colecionar as cartas", arguiu.

Pela sua conta oficial no Instagram, o ilustrador apresenta os mais de 100 personagens em quatro formas, entre elas, "base" e "bestial". "São mais de 130 Cartas, entre 'Cartas Aminozon' e 'Cartas Suporte' para o jogo. São mais de 100 Aminozons diferentes, entre as formas 'base', 'bestial', 'guerreira', 'divina' e das 'trevas'. O jogo está em pré-venda no instagram @aminozoncardgame. Em breve estará à venda em uma loja física/site, para que além de Belém, o jogo possa ser vendido para todas as regiões do Brasil", afirmou.

O jogo é vendido de duas formas, conta o desenvolvedor. Primeiro um box com o kit completo do jogo (80 cartas +  1 guia do jogo + 1 playmat aminozon (tabuleiro) + 20 stickers aminozon + 15 moedas de compra + 20 moedas de dano) e uma versão em Booster da Expansão que vem com 9 cartas do jogo, e algumas raras, observa Webby Ramos.

O paraense desenvolveu um universo complexo de história, mas conta que é fácil aprender a jogar e existem - até então - duas formas de brincar: com um deck de 80 cartas, sendo 40 cartas para cada jogador ou dois decks para cada jogador, com 80 cartas para cada. No tabuleiro há os espaços para colocar as cartas, conta Webby. "Por exemplo, são 6 Espaços de Energia - Eco Força, Ataque, Defesa, Poder Oculto, Poder Vital e Velocidade - e os jogadores devem colocar as cartas aminozon/Suporte, nos seus respectivos espaços. Eles podem usar as moedas de dano para reduzir os status de energia do outro jogador. Vence quem derrotar seis Aminozon do adversário. Além disso, é possível comprar cartas, substituir entre outras opções no jogo que é de ação por turnos", ensinou o criador.

Para o futuro, Webby pretende investir na franquia Aminozon, pois gostaria de transformar a história em quadrinhos ou Mangá e criar um canal no Youtube para falar sobre o universo do jogo. "Camisas, action figure, bom as opções são muitas. Mas me  falta tempo pra fazer isso sozinho, então estou aberto a parcerias. Mas, no momento, estou focando só no card game. Eu fiz o jogo com muito amor mesmo. Cada aminozon tem um conceito, foi revisado várias vezes. Cada um deles são importantes como um todo", finalizou.

O jogo, além de divertir, passa uma mensagem de preservação, segundo Webby que focou em valorizar os animais da Amazônia, inclusive, os que já foram extintos, para chamar atenção da responsabilidade com o meio ambiente. "Não só na valorização de alguns Aminozons inspirados em animais da Amazônia que infelizmente já foram extintos, ou estão quase. Mas também é uma grande celebração da cultura marajoara, paraense e brasileira. Temos uma cultura muito rica. Eu fiquei impressionado quando as estudei, então espero que se divirtam com o jogo", concluiu.

 

Serviço

Lançamento do Aminozon Card Game

Jogo: Aminozon Card Game

Pré-venda e informações: @aminozoncardgame

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA