Farofa Tropikal abre a programação de aniversário do Espaço Cultural Apoena

A agenda de shows prossegue até o domingo, 17, com Bando Mastodontes, Cuíra, Carimbó Banjo Loko e Roda de Pandeiro Livre

Enize Vidigal

A banda Farofa Tropikal e o DJ Rony abrem nesta quarta-feira, 13, a semana comemorativa ao aniversário do Espaço Cultural Apoena (Av. Duque de Caxias, 450, Marco). A casa de show completa quatro anos valorizando os ritmos regionais, especialmente os mestres e mestras da cultura popular, indígenas e outros artistas. Na quinta-feira, 14, a festa será com o Bando Mastodontes. Na sexta-feira, 15, terá Cuíra Tropikal e DJ Jack Sainha. No sábado, 16, Carimbó Banjo Loko. E no domingo, 16, Roda Pandeiro Livre em homenagem ao Bezerra da Silva. Os shows iniciam sempre partir das 22 horas, exceto no domingo, que será a partir das 20h30. 

Um dos proprietários do Apoena, Augusto Moura, explica que o nome do estabelecimento faz alusão à história do índio homônimo que teve a visão sobre uma tribo na qual nada se falava sobre os próprios costumes e crenças. "O índios daquela tribo (da visão) haviam desistido de ser quem eram e passaram a acreditar que os costumes das outras tribos eram mais interessantes. Inquieto, Apoena construiu uma oca no centro da aldeia a fim de reunir o povo para a troca de saberes e a valorização da cultura local. 

O Apoena, tido como aquele que enxerga longe, o visionário, conseguiu reunir a tribo por dias e noites. Durante o dia, ele ensinava sobre a importância de preservação dos saberes dos mais antigos e à noite, ao som do tambor, apresentava as músicas e danças em rituais sagrados. Essa atitude despertou o sentimento de preservação da identidade cultural nos membros da tribo. "Assim como o índio guerreiro, o Espaço Cultural Apoena, segue firme no intuito de apresentar a identidade cultural do estado do Pará", explica.

No início do ano, o estabelecimento sofreu o risco de fechar as portas por conta de dívidas junto ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). Com sede no Rio de Janeiro, o Ecad é responsável pela arrecadação e distribuição de direitos autorais aos autores das músicas tocadas nos estabelecimentos comerciais e outros.

Farofa Tropikal

A banda criada em Curitiba, se mantém há quase um ano como atração fixa do Apoena, sempre às quartas-feiras. O show da banda é marcado por bregas, lambadas, cúmbias e guitarradas, entre outros ritmos regionais, sobretudo de influência caribenha. "A gente tem um carinho muito grande pelo Apoena. Vamos tocar (no show desta semana) as músicas que mais fizeram sucesso nas Quartas Tropicais, a gente vai tocar as músics que o público mais gosta," declara o guitarrista Lorran Vale. Os demais integrantes do grupo, atualmente, são Layse Rodrigues (bateria e vocal), Gabriel Dietrich (baixo) e Daniel Serrão (guitarra e teclado), que também responde pela direção musical.

O Farofa tropikal está na estrada desde 2017. Produziu um EP e clipe da música carro-chefe desse trabalho, "Desdenhas". A canção é um brega-rock composto por Layse, que fala sobre jogos de amor: "A letra fala sobre como as pessoas demoram para responder umas às outras, se fazendo de difícil. Fala para esquecer os jogos de amor e lembrar sobre a diversão do amor, do que é bom. As pessoas não falam sobre isso, mas o tema criou identidade com com o público", descreve Lorran.

O EP traz ainda o carimbó "Cheirosa", o brega "Constelações" e a "Guitarrada da Mestrinha", todos de autoria de Layse; além do merengue "Graças aos Mestres" e da guitarrada instrumental "Belém no coração", ambos de Lorran. A banda está produzindo o primeiro álbum com músicas autorais reunindo guitarrada, zouk, kompa (Haiti), brega, bolero, lambada e outros.

A expectativa é que o trabalho seja lançado até o final do ano. Em paralelo, o Farofa Tropikal está produzindo o próximo clipe da canção nova,  "Atrevida", que será gravado no final do mês. "O Farofa Tropikal segue a identidade dos ritmos carinbenhos que tocam muito no Pará. A gente quer muito essa identidade de misturas", afirma o guitarrista.

Música