Feira do Livro 2019 terá Conceição Evaristo e Djamila Ribeiro em edição mais representativa

Evento ocorre entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro, em Belém; e vai homenagear Zélia Amador de Deus e João de Jesus Paes Loureiro

Lucas Costa

A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro será realizada entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro. O evento foi lançado em uma coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (22), no Theatro da Paz, com a presença da Secretária de Cultura do Estado Úrsula Vidal. Também estiveram presentes os dois homenageados da edição de 2019: o poeta João de Jesus Paes Loureiro e a pesquisadora e ativista Zélia Amador de Deus.

A feira passou por diversas reformulações no sentido de torná-la mais inclusiva, e uma das novidades que deve tornar o evento mais representativo é a arena Multivozes. “Isso trará essa oralidade, que visibiliza, celebra e anos de ancestralidade, nossa sabedoria,  e nossa cultura popular, que é muito feita desse saber fazer e dessas memórias, que são memórias repassadas de maneira ancestral desde os quilombolas e afrodescendentes”, explicou Úrsula.

O espaço Multivozes também deverá visibilizar as “vozes urbanas”, segundo Úrsula, além de valorizar o regionalismo. A secretária contou que cada um dos nove dias da feira terá programações específicas. “Teremos vozes urbanas, vozes originárias dos povos indígenas, vozes afrodescendentes, vozes da identidade do autor paraense. É muito importante a gente reforçar a importância que queremos dar ao respeito que temos pelos escritores e escritoras do Pará”, disse.

Helder Moreira, Luiz Soares Junior , Zélia Amador de Deus, Úrsula Vidal, João de Jesus Paes Loureiro e Cássio Tavernard durante a coletiva de imprensa, no Theatro da Paz (Iego Rocha / Divulgação)

Este ano, a representatividade dentro do evento parece ser uma preocupação maior, tanto no sentido de valorizar a cultura afro, quanto dos povos tradicionais da Amazônia e escritores regionais. Úrsula confirmou ainda a participação de atrações nacionais de grande renome, como a as escritoras Djamila Ribeiro e conceição Evaristo; além de Dona Onete e Liniker e os Caramelows dentro da programação musical.

A secretária de Cultura destaca que a programação não foi pensada por conta de um episódio anterior. “Quando pensamos a programação, nós pensamos no que nos significa, quando pensamos nas vozes que queremos visibilizar, nas vozes que queremos que sejam ouvidas, nas manifestações culturais, expressões artísticas que queremos que sejam enxergadas e valorizadas, nós pensamos no que somos”, destacou.

“Então essa feira é muito retrato do que nos significa, é um retrato dessa Amazônia multiétnica, Amazônia multicultural, dessa Amazônia que ainda sofre muito com a falta de valorização da sua cultura popular, que ainda sofre muito com a falta de respeito a essa ancestralidade”, completou Úrsula.

Além dos nove dias, que serão realizados no Hangar Centro de Convenções, em Belém; a feira também terá atividades nos municípios de Santarém, Bragança e Marabá. Também haverá atividades em outros bairros de Belém, com o objetivo de descentralizar o evento.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!