Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fãs resgatam carta que Pedro Scooby escreveu para filho após grave acidente

O surfista afirma que foi o filho Dom que o ajudou a não desistir do surfe após quase morrer em um acidente

Painah Silva

Essa semana, Pedro Scooby retornou a Portugal para reencontrar os filhos após o "Big Brother Brasil 22", e os fãs relembraram uma carta aberta que o surfista escreveu para Dom, seu primogênito, após quase morrer em um acidente em Nazaré, em Portugal, em 2019. 

VEJA MAIS

BBB22: Pedro Scooby cobra R$90 mil para tirar férias com fãs Surfista colocou à venda 30 mil ativos digitais com diversos benefícios

Golpista se passa por Leo Dias para enganar Pedro Scooby e sertanejos Nas mensagens, o criminoso fala que está organizando "ação solidária" que reúne empresários, socialites e artistas

Paulo André diz que magoou Pedro Scooby Durante a prova de resistência, PA desabafa com os amigos

"Daquela vez eu não morri. Mas aqui vai o meu segredo para você, Dom: eu só não desisti porque sou o seu pai. Porque você me ensinou a não desistir. Vou te contar como", diz o texto. 

Pedro começa a carta aberta descrevendo o acidente: "Pense em uma meia dentro de uma máquina de lavar, girando, girando, se perdendo numa imensidão de água, espuma e movimento. Foi assim que eu me senti naquela manhã de novembro do ano passado, em Nazaré".

O atleta fala que depois dessa experiência desenvolveu um bloqueio e pensou em se afastar do esporte por um tempo. Mas mudou de ideia ao ver o filho lidar com seu próprio medo enquanto tentava ensiná-lo a dar um salto mortal no pula-pula

"Eu nunca vou esquecer daquela conversa. Espero que você também não. Eu disse para você que o medo poderia te bloquear não apenas na hora do salto, como em vários momentos da sua vida. Expliquei como o medo podia te impedir de concretizar coisas extraordinárias. E você concluiu do seu jeito. 'Eu vou tentar de novo', você disse", relata Scooby. 

"E quatro dias depois eu voltei a Nazaré. Foi um swell perfeito. Eu surfei uma onda maior do que aquela que me derrubou. A onda da minha vida. E só existiu porque eu tenho você ao meu lado, me ensinando a viver", agradece.

Ao concluir, o surfista diz ao filho que espera dar orgulho a ele: "Nunca é um bom dia para morrer. mas quando esse dia chegar, espero que seja no mar, um desaparecimento tranquilo, sem sofrimento. E que você tenha orgulho do que eu fiz e de quem eu fui. Porque eu tenho muito orgulho de você, Dom, meu filho". 

(Estagiária Painah Silva, sob supervisão da Coordenadora de Conteúdo de Cultura, Sonia Ferro)

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA