Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Égua do Babado: Monaliza Novais, amiga de Juliette, fala sobre participação da maquiadora no 'BBB'

A advogada que até morou junto com a atual queridinha do Brasil é convidada de live no Instagram de Oliberal.com nesta terça-feira, 20

Lucas Costa

Se ao longo de quase três meses, Juliette Freire conseguiu conquistar milhões de brasileiros com seu carisma, imagina em anos de amizade. E ninguém melhor para falar da queridinha do “Big Brother Brasil 21”, do que alguém que conhece a figura de perto. A advogada Monaliza Novais, amiga que até morou junto com Juliette, é convidada da live “Égua do Babado” desta terça-feira (20), que vai ao ar às 19h, pelo perfil @oliberal no Instagram.

Monaliza, que assim como os administradores dos perfis de Juliette, tem crescido em popularidade nas redes sociais por compartilhar momentos e curiosidades com a amiga, relembra que as duas se conheceram em 2012, na faculdade, e já se deram bem desde o início.

“Desde que ficamos amigas a gente já se identificou muito, pela história de vida e por sermos de fora de João Pessoa, ela de Campina Grande e eu de Fortaleza. No começo de 2014, fomos dividir apartamento e moramos juntas até o final de 2020. Nossa relação é de irmã, como convivemos por muito tempo juntas, não tem como evitar. A gente é como cão e gato, e as pessoas a nossa volta já estão até acostumados”, conta ela.

Com Juliette tendo passado por tanta coisa dentro do reality show, Monaliza conta que a experiência do lado de fora tem sido interessante, mas confessa que já chegou a parar de assistir ao programa para evitar ver o sofrimento da amiga. 

“Nos primeiros dias foi muito difícil. Primeiro em razão do julgamento das pessoas aqui de fora, que não entenderam a euforia inicial. Logo em seguida começaram as más interpretações dela dentro da casa, e vê-la abatida, foi uma das piores sensações que tive na vida. Porque a gente aqui fora ficou de mãos atadas, inclusive eu parei um tempo de assistir e entrava pouco nas redes sociais. O que os olhos não veem o coração não sente. Levo isso até hoje. Quando ela sofre, ou quando estão falando mal dela, procuro não assistir”, conta Monaliza, que também destaca a virada em que o público passou a ter afeição pela participante.

“Passadas as tribulações, é muito gratificante ver como o público se reconheceu em Juliette, e o quanto dedicam um carinho a ela. Acredito que isso seja a grande significação de tudo. Cativar as pessoas e fazer com que saibam que ainda existem pessoas boas no mundo, como é o caso da Juliette”, diz.

A popularidade de Juliette é tão grande atualmente, que tem levado junto pessoas próximas a ela, como Monaliza. Ela lembra que no ano passado até tentou deixar seus perfis nas redes sociais mais pessoais, apenas com pessoas próximas; mas com a explosão da amiga, não teve jeito.

“Quando Juliette entrou no programa, eu pensei em abrir meu insta para que as pessoas pudessem enxergá-la sobre os meus olhos. Tenho muito receio do julgamento ‘preto no branco’ das pessoas, então se eu pudesse levar para as pessoas descrições de defeitos e qualidades dela, talvez os julgamentos seriam mais brandos e as paixões seriam conscientes das imperfeições de todos os seres humanos. Aí foi chegando alguns fãs, comecei a usar o Twitter, e do nada estou com 28 mil seguidores, e olha que nem sou ADM. Os adms que são amigos estão bombando. Tento ser o mais atenciosa possível com os fãs, nem sempre consigo. Minha rotina é bem ocupada, por conta do trabalho. Eles são uns amores, me trazem afagos diários”, conta a advogada. 

Com uma amiga já super famosa, atualmente com mais de 21 milhões de seguidores somente no Instagram, Monaliza já entende que as coisas devem mudar daqui para frente, mas se compromete a seguir ao lado de Juliette.

“Eu acho que não tem muita preparação para o que está por vir. Um dia desses lembrei no Twitter que não vamos mais poder ir ao cinema, a gente ama fazer isso. Acredito que grande parte das amigas mais próximas estejam felizes e ao mesmo tempo preocupadas. Acho que amiga que tínhamos antes vai mudar, ela vai ter novas experiências. Pelo menos a disponibilidade dela vai. Não vamos mais poder nos encontrar sempre que desejarmos. E ela vai estar em outro mundo que nos é alheio. Nosso papel, acredito eu, é de não deixar a fama subir à cabeça dela. As amigas antigas e família, serviram como apoio a ela, e como pessoas que iram continuar mostrando a realidade dos fatos a ela”, conta

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA