Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Djamila Ribeiro debate gênero e feminismo na programação da Feira Pan-Amazônica do Livro

Escritora diz estar muito feliz com a oportunidade de dialogar com o público paraense

Vito Gemaque

A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro terá a escritora e colunista Djamila Ribeiro no Encontro Literário, a partir das 20h, na Arena Multivozes. A filósofa, escritora e militante, Djamila Ribeiro é considerada uma das principais vozes do feminismo negro no Brasil. A autora de "Quem Tem Medo do Femininismo Negro?" irá discutir a importância da igualdade de gênero e do empoderamento de meninas e mulheres, reforçando que todos devem ter os mesmos direitos e o mesmo espaço no que ela chama de "lugar de fala".

Leia também:

Evento tem dia dedicado à voz das mulheres brasileiras, no Hangar

"Fiquei muito feliz para participar da feira. É minha terceira vez em Belém, participando do Festival Humana, e em outra para participar de um debate na Universidade Federal do Pará e nestas oportunidades tive convite para bater papo e conhecer a rede de mulheres negras do Pará, o que foi muito bacana para conversar com o movimento feminista negro amazônico que está fazendo um trabalho muito importante em Belém. Tenho um carinho muito grande pela cidade. E poder voltar nesta posição como escritora é bastante gratificante", destacou.

Polêmica e de opinião conceitual, embasada na literatura, em estudos acadêmicos e na própria experiência, Djamila defende que é preciso combater o preconceito não só de gênero, mas de classe social, raça e orientação sexual. Djamila é mestra em filosofia política. Já foi secretária adjunta de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo e idealizadora do selo editorial "Sueli Carneiro", que incentiva a publicação de produções literárias escritas por negras brasileiras, latinas, indígenas e LGBT.

“Eu quero muito falar sobre a coleção Femininos Plurais. Sobre o sucesso que a coleção vem fazendo, que é uma parceria entre o selo Sueli Carneiro e selo Polén e que estamos conseguindo alcançar os nosso objetivos, desde escolas, grupos, coletivos e universidades, e falar dos próximos lançamentos que é apropriação cultural. Também vou falar do livro ‘Quem tem medo do feminismo negro?’ e dos novos próximo livro que estou escrevendo e dos novos projetos”, adiantou.

Djamila participa ainda nesta manhã de um encontro com estudantes da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Maria Luíza Costa Rego. "Quero dialogar com o maior público possível", diz. Para o encontro de logo a noite, quando estará no Encontro Literário, ela está ansiosa."Minha expectativa é a melhor possível. Sou sempre bem recebida em Belém e feliz em poder estar agora para falar dos meus livros, por poder dialogar e poder criar pontes. Estou feliz com a oportunidade de podermos conversar", enfatiza. O encerramento desta quinta-feira, 29, a Feira Pan-Amazônica do Livro terá os shows de Luê, às 21h, e de Keila, às 22h. Nos próximos dias a feira terá a participação ainda de Eliane Potiguara, Edyr Proença e Xico Sá.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA