Diretor da Funarte, Roberto Alvim ataca Fernanda Montenegro nas redes sociais

Dramaturgo chamou a atriz de 'sórdida' e 'mentirosa' em publicação no Facebook

Redação Integrada

Na tarde desta segunda-feira (23), Fernanda Montenegro foi duramente criticada pelo dramaturgo e diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Roberto Alvim. Assumidamente apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Alvim usou seu perfil nas redes sociais para chamá-la de mentirosa e reafirmar seu "desprezo" pela atriz. 

"A "intocável" Fernanda Montenegro faz uma foto pra capa de uma revista esquerdista, vestida de bruxa, amarrada por cordas, prestes a ser queimada em uma fogueira de livros, numa afirmação de que esse é o estado-de-coisas no Brasil do governo Bolsonaro: censura, livros sendo queimados, pessoas sendo mortas por discordarem...", critica Alvim no início do texto. A publicação surge após Montenegro protagonizar a capa da revista Quatro Cinco Um, em que aparece vestida de bruxa em uma fogueira de livros.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ansiosa para outubro! Salvem os livros. E as bruxas! 🌚🖤🧙 #QuatroCincoUm #RevistaQuatroCincoUm #FernandaMontenegro

Uma publicação compartilhada por Nathalia Mosteiro Gaspar (@nathike) em

"Essa foto é ecoada por quase toda a classe artística como sendo um retrato fiel de nosso tempo, em postagens que difamam violentamente o nosso Presidente", continua.

Em seguida, o dramaturgo critica a autora francesa Simone de Beauvoir - a quem chama de sórdida - que foi representada por Fernanda durante um espetáculo teatral "Viver Sem Tempos Mortos". 

"Então acuso Fernanda de mentirosa, além de expor meu desprezo por ela, oriundo de sua deliberada distorção abjeta dos fatos", declara ainda, se referindo à entrevista da atriz à revista.

"Fernanda mente escandalosamente, deturpa a realidade de modo grotesco, ataca o Presidente e seus eleitores de modo brutal, e eu sou grosseiro e desrespeitoso, apenas por ter revidado a agressão falaciosa perpetrada por ela?", indaga Alvim.

Em comunicado enviado ao jornal O Globo, a Associação dos Produtores de Teatro (APTR) repudiou as declarações de Alvim:

"A APTR repudia veementemente as declarações do diretor de Artes Cênicas da Funarte, Sr. Roberto Alvim, em suas redes sociais, onde classifica o não diálogo com a classe artística como uma "guerra irrevogável". 

Com a mesma intensidade, repudiamos a classificação da fala de dona Fernanda Montenegro como infantil, mentirosa e canalha. É absolutamente inadmissível que uma atriz com a sua trajetória seja atacada em seu livre exercício de expressão.

[…] Como cidadão, o Sr. Roberto Alvim pode expressar opinião, independentemente do campo social, cultural e ideológico. Já como gestor público de relevância nacional – ou seja, representando o país como um todo – o mesmo deveria atentar-se à natureza do seu cargo, pautando-se pelo respeito à classe que representa e aos profissionais consagrados por sua atuação.

[…] Persistiremos  na busca pelo diálogo, pela liberdade de expressão, pelo afeto ao fazer artístico e cultural  de nosso país. Tudo isso de forma civilizada e com total respeito à diversidade".

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA