Paulo Betti lança 'A Fera na Selva' em Belém

O ator estará presente à sessão do longa na qual contracena com Eliane Giardini

Enize Vidigal

O filme "A Fera na Selva" estreia nesta quinta-feira, 10, no Cine Líbero Luxardo, em Belém, com a presença de Paulo Betti, às 19 horas. O ator protagoniza o longa ao lado de Eliane Giardini, com quem também compartilha a direção ao lado de Lauro Escorel.

Baseado livremente na obra homônima do escritor americano Henry James, do século XX, "A Fera na Selva" conta uma história de amor incompreendida. O enredo fala de um homem que passa a vida aguardando algum acontecimento extraordinário sem perceber os sinais de algo que poderia realmente ter transformado a realidade dele, mas que acabou ficando em segundo plano.

A leveza e o entrosamento de Betti e Giardini na telona é mais do que o fruto de um casamento que se foi e de uma amizade que permaneceu entre eles, mas de dois grandes nomes das artes cênicas que já encenaram "A Fera na Selva" muitas vezes no teatro.

"O tempo foi colocando as coisas assim num entendimento de harmonia entre eu e a Eliane que foi observado pela crítica. Nós dois temos um entendimento bastante grande e, obviamente, que vem crescendo. O fato de termos feito a peça 30 anos atrás, isso certamente influencia no nosso desempenho, na forma com que nós fizemos o filme", explica Paulo Betti.

A adaptação do livro para o cinema foi feita pela própria dupla junto com Luís Artur Nunes e Rafael Romão. O elenco traz ainda Juliana Betti (filha de Eliane e Paulo), Janice Vieira, Cristina Labronici, Ademir Feliziani e Mário Pérsico.

"É um filme que tem um enfoque psicológico, dramático, que tem ênfase na palavra de uma forma bastante teatral. A minha expectativa é que lote a sala do Líbero Luxardo porque será uma sessão só", detalha. Dependendo do anseio do público, o ator pretende fazer um bate-papo sobre a obra. "Belém é a primeira praça, depois do Rio de Janeiro, a receber o filme comercialmente. Não estou ainda em excursão pelo Brasil todo com o filme".

'A Fera na Selva" ficou pronto em 2017 e foi selecionado para o 45ª Festival de Cinema de Gramado, para a 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, além do 33ª San Francisco Latin Film Festival e do 10o Chicago Latin Film Festival, entre outros.

"Decidi que seria melhor lançar em 2017 em festivais de cinema. Em 2018, eu fiquei sabendo que iria entrar em uma novela junto com a Eliane Giardini e achei que seria melhor lançar após a novela. Também tive problemas pessoais em 2018 que me impediram de fazer o lançamento do filme." O longa-metragem é co-produzido por Prole de Adão Produções, Batuta Filmes, Canal Brasil e Globo Filmes e distribuição pela O2 Play.

Ator tem como hábito conversar com o público sobre seus trabalhos

Divulgar esse filme em contato direto com o público da capital paraense não é uma novidade para Paulo Betti. Em 2017, quando veio encenar o monólogo "Autobiografia Autorizada", ele conversou com o público sobre a obra de  Henry James e sobre o filme.

"Foi curioso porque eu estava em Belém quando o filme ficou pronto. Foi uma ideia que surgiu no Theatro da Paz, em um bate-papo com o público que fiz ao final da minha peça. Fui coletando e-mail dos espectadores e ficamos com o contato direto. Belém está na origem dessa ideia de fazer um lançamento diferenciado com a minha presença em todas as sessões, como se fosse uma peça de teatro fazendo uma turnê", detalha. Naquele mesmo ano, ele voltou à cidade para um diálogo aberto ao público sobre o filme, no teatro Margarida Schivasappa.

"Essa estratégia foi orgânica e natural. Quando eu fui filmar eu fiz uma abordagem diferente. Todo mundo que quis participar da filmagem, em Sorocaba (São Paulo), onde o filme foi gravado, pôde participar desde que lesse o livro e o roteiro. Eles deram palpites no roteiro. É uma forma democrática de lançar um filme pequeno. É um filme que tem um nicho mais ligado a quem gosta de filmes de arte e assiste filmes europeus. Essa estratégia foi uma necessidade que senti de fazer um contato estreito com o público".

Divulgar o livro e o filme e suscitar discussões sobre essas obras é o objetivo dele, que também está lançando um curso gratuito on line sobre adaptação literária. As inscrições podem ser feitas no site do filme (feranaselva.com.br). O curso tem duração de 20 horas e emissão de certificado. "O público pode ter acesso ao roteiro do filme e ao livro de Henry James (no curso)".

Sobre os desafios da produção audiovisual brasileira, ele comenta que as dificuldades vêm ocorrendo em "todos os níveis", no entanto, "o mais grave é a censura explícita à temática de certos filmes", que está ocorrendo no impedimento do acesso aos patrocínios. "Há uma censura, uma coerção muito violenta porque estão tentando bloquear a feitura de filmes que tenham certa temática e isso é muito grave".

Paulo Betti estreou recentemente outro filme, "Uma Noite Não É Nada", no qual interpreta um professor de cursinho que se envolve com uma aluna mais jovem, que é soropositiva e emocionalmente perturbada. Em paralelo, ele segue pelo país com a turnê da peça "Autobiografia Autorizada", inclusive, se prepara para levá-la a Portugal, em janeiro de 2020.

Agende-se:

Exibição do filme "A Fera na Selva"
Data: quinta-feira, 10, às 19 horas
Local: Cine Líbero Luxardo, do Centur (Av. Gentil Bitencourt, 650, Batista Campos)
Ingressos a R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia entrada)

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!