'Carcereiros' estreia como candidato a ser o primeiro blockbuster brasileiro

Longa baseado na série homônima da Globo chega aos cinemas hoje com uma dinâmica muito forte de thriller

Agência Estado

Rodrigo Lombardi já havia contado ao jornal O Estado de S. Paulo como caiu de paraquedas na produção de Carcereiros, a série. Quem deveria fazer o papel de Adriano era Domingos Montagner, mas ele morreu tragado pela correnteza do Rio São Francisco, em setembro de 2016, durante um intervalo das gravações da novela Velho Chico. Chamado para substituir o colega, Lombardi nem teve tempo de preparar-se como gosta. "Terminei uma novela na sexta e na segunda já estava gravando de novo", conta.

Quando surgiram a segunda temporada e a ideia do filme, um pouco porque os roteiristas Fernando Bonassi e Marçal Aquino, com a cumplicidade de Dennison Ramalho, estavam tentados a assumir o desafio de construir um relato com começo, meio e fim - na série, cada episódio era independente, mas havia uma história rolando, que atravessava os capítulos -, Lombardi já estava mais enturmado. Conhecia o personagem e fez valer suas sugestões. O filme estreia nesta quinta-feira, 28, nos cinemas, depois de integrar a programação da Mostra de São Paulo, com direito a debate dos roteiristas.

Nem Lombardi nem o diretor José Eduardo Belmonte estiveram presentes, mas vieram a São Paulo na semana passada, para rodadas de entrevistas com jornalistas de todas as mídias, para promover o lançamento. Carcereiros - O Filme surge com a proposta de virar blockbuster, mas isso vai depender do público.

Qualidades não faltam. O filme é muito bem realizado, interpretado. Possui uma dinâmica muito forte de thriller - e um astro em pleno domínio dos seus meios. Lombardi não gosta de ser chamado de astro, embora seja. Considera-se um operário da interpretação, tendo começa no teatro e ganhado a televisão e o cinema

Conta que o que poderia ter sido negativo - entrar às pressas no projeto da série -, terminou sendo positivo. "Como não tive muito tempo para elaborar uma identidade para o Adriano, isso me permitiu transcender o que não deixa de ser a jornada de um homem comum, resistindo à tentação de transformá-lo num estereótipo de herói." E ele acrescenta o que lhe parece o grande mérito da série, que o filme retoma: "Não é maniqueísta, e isso é uma coisa que já vem do livro do Drauzio (Varela)".

De alguma forma, Lombardi está repetindo o que Hector Babenco já disse em 2003, ao realizar outra adaptação do Dr. Drauzio - Carandiru. Babenco dizia que era um filme sobre a ética dos criminosos. Essa ética reaparece em Carcereiros, porque o plot do filme é a chegada à cadeia de um prisioneiro internacional, um terrorista responsável pela morte de crianças num atentado, Abdel (Kaysar Dadour).

Carcereiros – O filme (Estreia) 
Dir: José Eduardo Belmonte 
Drama, 16 anos 
Cinépolis Boulevard 4 (2D): 14h30, 17h, 19h30, 22h;
Cinépolis Parque 2 (2D): 15h10, 17h40, 20h00, 22h30;
Cinesystem Metrópole 9 (2D): 17h, 22h; 10 (2D): 15h, 17h15, 19h30, 21h45;
Moviecom Pátio 2 (2D): 15h (somente sáb, dom e fer), 17h15, 19h30, 21h45;
Moviecom Castanheira 7 (2D dub): 15h (somente sáb, dom e fer), 17h15, 19h30, 21h45;
UCI Bosque 5 (2D): 14h45, 17h15, 19h35, 22h; 

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM CULTURA