Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Hoje, domingo (3) tem a 39ª edição do Circular totalmente presencial

Com o avanço da vacinação na cidade e a queda no número de casos e mortes causadas pela covid 19, mas ainda com todos os cuidados necessários, o evento está de volta às ruas do Centro Histórico de Belém.

Alexandra Cavalcanti

Quem gosta de desbravar a cidade e conhecer pontos de cultura e lazer espalhados pelo Centro Histórico de Belém já tem um compromisso imperdível neste domingo (3): O Circular Campina Cidade Velha está de volta. Em sua 39ª chega a 100% presencial. Uma oportunidade também para quem ainda não conhece o projeto e deseja se inteirar. E não faltam opções. Serão quase 30 espaços, incluindo galerias, museus, casarões culturais, restaurantes e hostels entre outros empreendimentos criativos, que vão estar abertos das 8h às 20h, nos bairros da Campina, Cidade Velha e Reduto.

VEJA MAIS

Mostra centrada no universo feminino integra programação do Circular Quadros e fotografias de artistas paraenses estão na exposição que poderá ser visitada na sede social da Assembleia Paraense, na Avenida Presidente Vargas.

[[(standard.Article) A 39ª edição do Circular tem programação em vários cantos da cidade; confira]]

 

A volta do projeto ao seu formato original está sendo celebrada pelos organizadores. Mas não apenas por isso. A comemoração fica também por conta de uma maior adesão por parte dos empreendimentos locais. “Teremos um dia vibrante, com novos parceiros e outros que já estão circulando há nove anos. A cada nova edição a gente se fortalece de novo e, consequentemente, valoriza o centro histórico da cidade", explica uma das componentes da equipe gestora do projeto, Adelaide Oliveira.

Entre os novos parceiros do projeto estão a Casa Soma Cultural, na Cidade Velha, e a Vila Prana, no Reduto. O primeiro é um espaço que conta com salas para aluguel, sala de reuniões, área externa com piscina para eventos e estações de trabalho. Já o segundo, trata-se de um prédio de dois andares em área de interesse de preservação do patrimônio histórico, onde amigos se reuniram para trabalhar e morar há cerca de dois anos.

E mais uma vez, a diversidade é presença certa no projeto e nesta edição não será diferente. A atuação dos terreiros na cena cultural da cidade faz parte da programação, que inclui entre outras coisas oficina de banho de ervas, roda de conversa, discotecagem e música ao vivo, na "Varanda do Axé", promovida pela Tenda de Umbanda Ogum Beira Mar e Mamãe Oxum. De acordo com a sacerdotisa da Tenda de Umbanda, Jeise Lima, a cena cultural produzida pelos terreiros de matriz afro em Belém será o tema da roda de conversa. “O propósito da programação é desmistificar a cultura e a religiosidade de matriz afro e mostrar os aspectos culturais que envolvem os terreiros, com o objetivo de vencer o preconceito e criar laços com as comunidades criativas da Cidade Velha”, afirma.

Entre as atrações musicais desta edição do Circular está a apresentação do grupo de carimbó Jangada Encantada, no Hostel Antonieta. “O público pode aguardar um show com muito carimbó pau e corda voltado para a encantaria e também a apresentação de um repertório tradicional com as canções autorais de grupos regionais e mestres de Icoaraci”, explica a idealizadora do projeto, a mestra Neya das Maracas. Formado em 2019, o nome do grupo “Jangada Encantada”, “surgiu com o objetivo de ressignificar a identidade afroamazônida no cenário artístico cultural paraense, a partir da saudação de caboclos e encantados, presentes nas narrativas e identidade amazônida e também presentes dentro da Cultura do Carimbó”, destaca.

Coletivo Aparelho - Ação do grupo Mercado do Choro no Mercado do Porto do Sal (Cláudio Ferreira)

Boas notícias - A edição 2022 do Círcular também chega cheia de boas notícias. Uma delas é que será reaberto, neste domingo, a Kamara Kó Galeria, fechada desde o início de 2020. Além disso,  o Roteiro Geo-Turístico também está de volta e realiza o seu percurso pelo Ver-o-Peso. Há outros, como por exemplo, o Centro Cultural de Justiça Eleitoral, Igapó Ladrilho, Xibé Cultural e o Comitê Arte Pela Vida, entre os que estavam ausentes do projeto.

Outra boa notícia é que o projeto vem mantendo seu compromisso de chamar atenção para a necessidade de cuidados e preservação do patrimônio cultural, histórico, arquitetônico, ambiental e humano nos bairros envolvidos. Essa, inclusive, é uma iniciativa já reconhecida que valeu, em 2018, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2018, do IPHAN, na categoria Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Material. Desde que o projeto surgiu, já lançou dois documentários, 8 edições da Revista Circular Digital e três edições do Fórum Circular foram realizadas com debates sobre patrimônio.

Neste domingo, 3 de abril, em todos os espaços parceiros do Circular, será obrigatório o uso de máscaras e apresentação da carteirinha de vacinação comprovando a aplicação de duas doses da vacina contra a Covid-19.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA