250 anos de genialidade de Beethoven ganha concerto especial

Maestro Roberto Tibiriçá regerá a Orquestra Jovem Vale Música (OJVM) neste sábado (28)

Redação Integrada

Há 250 anos nascia um dos maiores gênios da música mundial, o austríaco Ludwig van Beethoven (1770-1827). As composições clássicas de Beethoven transcenderam não apenas o tempo, ou o país de origem, mas o espaço sideral. Três músicas do maestro romântico são os cartões de apresentação interestelar da humanidade, que viajam nas sondas espaciais Voyager 1 e 2.

Para homenagear o compositor considerado um dos pilares da música ocidental a Orquestra Jovem Vale Música (OJVM), com a regência do maestro convidado Roberto Tibiriçá, apresenta a Sétima Sinfonia e a Abertura das Criaturas de Prometeu. O concerto especial será neste sábado (28), direto do palco do Theatro da Paz, em Belém, às 18h, com transmissão ao vivo pela TV Cultura e Portal Cultura.

“Esse último movimento é uma dança frenética, é uma coisa absurdamente alegre, quando ele [Beethoven] começava a compor, Deus devia colocar a mão na cabeça, porque é uma verdadeira benção de Deus. As sinfonias de Beethoven são a bíblia dos regentes é um patrimônio da humanidade que não há quem não se emocione”, declara o maestro.

O maestro Roberto Tibiriçá já esteve à frente da direção artística e também ocupou o cargo de regente titular da Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica do Sodre (Montevidéu/Uruguai), dentre outras.

A homenagem a Beethoven será uma das primeiras que o maestro participará neste ano. Devido a pandemia do novo coronavírus vários eventos foram adiados para o próximo ano. O evento obedecerá todas as medidas de prevenção indicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento, além da a redução do número de integrantes da orquestra.

Uma apresentação diante desse novo quadro de pandemia traz novos desafios para os músicos e para o regente. “Estamos voltando aos poucos com números menores de músicos e distanciamento no palco, e isso às vezes atrapalha um pouco o conjunto. Eles ficam muito separados e não se ouvem direito, mas a garra é imensa, a vontade de tocar e voltar a fazer música é algo que está nos deixando muito felizes, estamos voltando a atividade mesmo devagar”, revela.

O grande convidado já conhece Belém. O maestro contabiliza mais de 20 viagens à capital paraense para apresentações sempre no Theatro da Paz como convidado da professora Glória Caputo. Para ele, a apresentação da Orquestra Jovem Vale Música, do projeto Vale Música Belém, com as músicas de Beethoven emocionará a todos.

“Foi o grande brasileiro Antônio Ermírio de Moraes, essa grande personalidade que disse ‘a música salva’. A música tem o poder de fazer você lembrar do passado, pensar no futuro, chorar de alegria e tristeza é uma coisa muito linda”, aponta. A programação conta com apoio do Theatro da Paz, Fundação Carlos Gomes, Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa) e Governo do Estado do Pará.

Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA