Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Mulher que ‘sumiu’ de hospital teve morte violenta

Valéria Muniz deixou o hospital sem autorização e foi encontrada morta em uma rua

Redação Integrada com informações do G1

Valéria Muniz de Carvalho, de 52 anos, que saiu "escondida dos médicos" do Hospital Salgado Filho, no Rio, teve morte provocada por uma ação violenta, segundo investigações da Polícia Civil.

Ela estava internada no Hospital Salgado Filho, no Méier, com uma fratura no calcanhar. Mas, às 5h da manhã de sábado, 19, ela saiu do local sem que médicos e enfermeiros percebessem.

O motivo de ir ao hospital foi uma fratura no tornozelo que, segundo a paciente, foi ocasionada por uma queda, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

A mulher apareceu morta na rua Rua Miguel Angelo, no Cachambi, bairro vizinho ao Méier. Porém, os familiares só conseguiram confirmar a morte dela quando procuraram o Instituto Médico Legal. O enterro foi na quarta-feira, 23, no cemitério do Pechincha.

"Instauramos inquérito para apurar porque realmente a situação é meio complicada, já estamos avançando na investigação. A gente já conseguiu detectar que a morte foi por ação violenta, mas a gente ainda não conseguiu concluir, estamos a caminho (da conclusão)", disse o delegado Deoclecio de Assis, titular da 23ª DP (Méier).

Namorado

Ao G1, o namorado de Valéria, Milton de Souza, relatou que o corpo foi encontrado por um motorista de caminhão da Cet-Rio, que acionou a polícia. Milton disse ainda lhe falaram sobre hipótese de assassinato.

"Não consegui ver o laudo, mas não teve realmente marca de tiro nem nada. O que eles me falaram no IML é que ela estava com o queixo inchado, mas eu vi o rosto dela no enterro e estava normal. Tomei coragem pra olhar pra ela e vi que estava normal. O IML também só informou da fratura no pé. Aparentemente, marca de tiro ou de violência, não, realmente não tinha", disse Milton.

Hospital

A vítima, que estava internada desde quinta-feira, 17, ia passar por uma cirurgia quando deixou o hospital. Um funcionário do Salgado Filho, que não quis se identificar, diss que Valéria estava com o pé imobilizado ao sair do hospital sozinha.

Causou estranheza que alguém com uma fratura no pé pudesse sair andando. EM nota, o hospital disse que "não se pode avaliar a condição de um paciente por câmeras de segurança. O que as imagens mostram é a paciente deixando o hospital. As imagens das câmeras de segurança estão com a polícia, a quem cabe investigar o caso".

Leia a nota do hospital:

"A paciente não sumiu, deixamos isso claro. Destacamos ainda que a Sra. Valéria era uma paciente adulta, lúcida, orientada e deixou a unidade sem autorização ou alta hospitalar, não havendo, portanto, nenhum documento assinado. O termo de responsabilidade por deixar o hospital durante o tratamento só é assinado quando há um acordo, chamado de "alta a pedido", entre paciente e equipe médica.

A decisão da Sra. Valéria deixar a unidade por evasão foi tomada com ela lúcida, orientada e com controle de sua consciência, sem que tivesse qualquer indicação de acompanhamento psiquiátrico ou que estivesse usando medicação que pudesse alterar sua condição de mulher adulta capaz de tomar decisões.

Por estes motivos, além do direito à privacidade de todo paciente, não há obrigatoriedade em comunicar este fato aos familiares, que foram, sim, informados na segunda-feira (21), quando atendidos pelo Núcleo Estratégico de Apoio às Famílias (NEAF), que deu todas as informações sobre o tratamento e saída da paciente.

Após sair do hospital às 5h de sábado, a Sra. Valéria deixou de ser uma paciente ativa e por isso seu contato foi retirado da lista de envio de boletins médicos diários.


A direção do Hospital Municipal Salgado Filho mais uma vez lamenta a morte da Sra. Valéria Muniz e reitera que está colaborando com a investigação policial.

Valéria deu entrada na quinta-feira com uma fratura no calcanhar, foi examinada e medicada para ser preparada para cirurgia. No início da manhã de sábado, por volta das 5h, saiu da unidade caminhando pelo setor de emergência.

A direção do Salgado Filho segue solidária à família da Sra Valéria, à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas e oferece todo apoio necessário para os familiares da paciente"

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL