Justiça condena médico por morte de paciente em endoscopia

Profissional usou gás na paciente, que teve uma parada cardiorrespiratória

Com informações do Metrópoles

1ª Vara Criminal de Brasília condenou, na segunda-feira (7), o médico Lucas Seixas Doca Júnior pela morte da paciente Jaqueline Ferreira de Almeida. De acordo com denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), a mulher morreu após ser submetida a endoscopia realizada pelo profissional em outubro de 2016. À época, a vítima tinha 32 anos.

O médico teria usado gás em Jaqueline durante o procedimento, e a mulher não conseguiu expelir o material. Ela sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Pelo crime, a Justiça fixou a pena em 1 ano e 4 meses de detenção, em regime inicial aberto, por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Além da prisão, o profissional terá que indenizar a família da vítima em R$ 250 mil. A decisão é da juíza Ana Cláudia Loiola de Morais Mendes.

Na avaliação da Promotoria de Justiça Criminal de Defesa dos Usuários dos Serviços de Saúde, o acusado foi responsável pela morte de Jaqueline ao infringir proibição do Conselho Federal de Medicina (CFM) e por falha na assistência médica.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!