Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Empresário que encomendou morte de sargento em Manaus descobriu traição pelo celular

Joabson Gomes já estaria desconfiado do caso extraconjugal entre a esposa e o militar e encontrou provas no aparelho da mulher

O Liberal

O casal Joabson Gomes e Jordana Freire, donos da rede de supermercados Vitória, já estão recolhidos em presídios da capital amazonense. Os dois são apontados como responsáveis pelo assassinato do sargento Lucas Ramon Guimarães, de 29 anos, ocorrido no dia 1º de setembro, em Manaus (AM), crime que mobilizou a polícia e instigou a opinião pública por não se ter nenhuma pista ou explicação que levasse ao esclarecimento do caso. Pelo menos até a última segunda-feira (10), quando a polícia deflagrou uma operação para prender o casal de empresários.

Militar teve morte encomendada por empresário amazonense após descoberta de traição O sargento do Exército Lucas Guimarães foi assassinado a mando de Joabson Agostinho Gomes, dono de uma rede de supermercados de Manaus

Investigações feitas pela Polícia Civil do Amazonas apontaram Joabson Gomes como mandante do crime e Jordana Freire como cúmplice. A morte do militar teria sido encomendada a um pistoleiro após o empresário descobrir um caso extraconjugal entre a esposa, Jordana, e Lucas. De acordo com informações repassadas pela polícia, Joabson teve conhecimento da traição após acessar o aparelho celular da esposa. 

Desconfiado da relação entre os dois, ele vasculhou o aparelho e encontrou mensagens, fotos e vídeos que comprovavam o caso. E ainda que a mulher desviava grandes quantias em dinheiro da empresa familiar para presentear Ramon. Diante do fato, Joabson chegou a agredir fisicamente a esposa e passou a perseguir e ameaçar o militar. Por fim, decidiu encomendar a morte do amante da mulher.

A polícia não descarta a hipótese de que Jordana tenha colaborado com o marido na morte de Lucas a fim de manter o casamento, já que mesmo após as agressões, relatadas à irmã e à mãe, ela decidiu continuar ao lado de Joabson. Os dois teriam sido avisados sobre a operação policial organizada para prendê-los e fugiram antes que a polícia os encontrasse.

Mas o advogado do casal, Almicar Pinheiro, negou essa versão e afirmou que eles souberam da operação pela imprensa, que divulgou o cumprimento dos mandados de busca e apreensão nas unidades da rede de supermercados e endereços relacionados ao casal. Também afirma que seus clientes são inocentes e que não fugiram, mas, foram orientados a aguardarem por ele na casa de familiares.

Almicar Pinheiro disse que estava fora da cidade quando foi procurado por Joabson e Jordana, que estavam assustados com a situação. Ele aconselhou o casal aguardasse pela chegada dele para se apresentar à polícia, o que foi feito na tarde da terça-feira (21), na sede da Delegacia-Geral do Amazonas. Ainda segundo o advogado, a defesa pedirá ainda hoje o habeas corpus de ambos por considerar a prisão dos empresários como ilegal.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Joabson está na Central de Recebimento e Triagem (CR) e amanhã seguirá para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 2). Jordana está no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). Ambos estão em prisão temporária.

O paradeiro do pistoleiro, que se passou por cliente do Café Mizes para matar o sargento Lucas Ramon Silva Guimarães, dentro do seu estabelecimento, continua desconhecido. 

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL