Dengue: com vacinas perto do prazo de validade, imunização será ampliada; veja como

A mudança vale para doses que vão vencer até 30 de abril de 2024

Camila Guimarães
fonte

As vacinas contra a dengue com validade até o dia 30 de abril deste ano serão ofertadas para mais pessoas, segundo nota técnica publicada pela Câmara Técnica de Imunizações do Ministério da Saúde nesta quinta-feira (18). Apesar da ampliação da vacinação, o Pará segue fora da lista dos estados que aplicarão as doses. A Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sespa) assegura que expressou formalmente interesse em receber vacinas, mas ainda não obteve resposta. Todos os estados têm autonomia para adquirir doses, porém o laboratório não possui disponibilidade. Este ano, até 31 de março, o estado registrou 4.900 casos de dengue, com duas mortes em Monte Alegre e Belém. Há 8.479 casos em análise.

Municípios que ainda tiverem com um alto número de doses poderão ampliar a vacinação para a faixa etária de 6 a 16 anos. Caso permaneçam com baixa adesão na campanha de vacinação, as doses próximas ao vencimento ainda poderão ser ampliadas ao público especificado na bula da vacina da dengue, que vai dos 4 aos 59 anos. Conforme recomendação do Ministério da Saúde, essa medida só deverá ser adotada em caso de necessidade, para que não haja perda do imunizante.

Aqueles que forem contemplados por meio deste plano de ação terão a segunda dose garantida. “Precisamos lembrar que essa estratégia é apenas para as vacinas que possuem prazo de validade em 30 de abril. Ou seja, as cidades que não tiverem mais doses desse lote permanecem com o público recomendado anteriormente, de 10 a 14 anos”, pontua Eder Gatti, diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunizações (DPNI).

VEJA MAIS

image Dengue no Pará: casos no 1º trimestre de 2024 superam 2023, indica Sespa
São 4,9 mil casos, de janeiro a março de 2024, contra 4.485 em 2023, aumento de 9.25%. Medidas de combate a doença são mantidas nos municípios

image Belém já soma quase mil casos de dengue; veja os bairros com maior incidência da doença
Um óbito foi registrado na capital paraense até agora, em 2024. No caso, o de uma mulher de 21 anos

Prioridade contra a dengue

O Ministério da Saúde reforça que a faixa etária de 10 a 14 anos deve ser priorizada. Este é o público que já vinha sendo alvo da imunização desde o início de março. Apesar disso, a baixa adesão fez com que doses estocadas nos municípios se aproximassem da validade.

De acordo com a pasta, não é possível quantificar as doses disponíveis com esta data de validade (30 de abril), uma vez que já foram distribuídas e as aplicações não são informadas imediatamente ao Ministério. Os dados podem demorar dias ou semanas para serem repassados para o sistema federal.

“De maneira excepcional, a ampliação da vacinação será permitida nas unidades de saúde durante a jornada de trabalho, preferencialmente para a população entre seis e 16 anos de idade. Esta estratégia poderá ser ampliada até o limite etário especificado na bula da vacina Qdenga”, decidiu o Ministério para as vacinas com vencimento até 30 de abril.

Mais vacinas

A terceira remessa da vacina da dengue contemplou 686 municípios do país. Ao todo, 930 mil doses foram distribuídas, incluindo as reposições às regiões que fizeram o remanejamento. Dessa forma, as cidades inicialmente contempladas puderam continuar a estratégia de vacinação junto às novas beneficiadas.

A Pasta adquiriu todo o estoque disponível de vacinas contra a dengue para 2024 e 2025. Até o final deste ano, o Brasil receberá 5,2 milhões de doses, além da doação de 1,3 milhão de doses; isso permitirá a vacinação de 3,2 milhões de pessoas com as duas doses que completam o esquema vacinal.

As vacinas são um importante instrumento para conter o avanço da dengue no Brasil. No entanto, diante da pouca oferta de doses por parte da fabricante, o foco segue na eliminação dos criadouros do mosquito.

Investimentos

Até o momento, o Ministério da Saúde liberou mais de R$ 93 milhões por meio de portarias para estados e municípios que instituíram recursos para localidades que decretarem emergência, seja por dengue ou outras emergências sanitárias. Os repasses ocorrem mensalmente. Os recursos são parte do R$ 1,5 bilhão reservado para esse fim.​

A Pasta também destinou mais de R$ 300 milhões para o incremento financeiro federal do Componente Básico da Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde (SUS). A recomposição do orçamento se dará por meio de aumento retroativo e contempla medicamentos que tratam sintomas da dengue.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL