Warao de 59 anos morre com suspeita de tuberculose no Tapanã

A mulher deu entrada na UMS do Tapanã por volta de 1h30 da madrugada e faleceu às 5h30

Redação Integrada

Uma venezuelana da etnia warao, Pastora Rattia, de 59 anos de idade, deu entrada por volta de 1h30 desta madrugada de sábado (11), na Unidade Municipal de Saúde Tapanã, e morreu às 5h30, com suspeita de tuberculose, após uma parada cardíaca. A informação é do pastor evangélico, Zildomar Souza, da igreja Nova Vida do Estado do Pará, com sede na avenida Almirante Barroso. Em nota, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), não confirmou a doença e informou a morte por desconforto respiratório, após uma parada cardíaca. 

''A Sesma ressalta que a usuária fazia parte de um núcleo familiar, que vive em um imóvel alugado no Tapanã, que era monitorado pela equipe de saúde do Consultório na Rua. Contudo, este grupo tem alta mobilidade para outros estados e há cerca de 30 dias, a referida equipe de saúde esteve no local e constatou que esse núcleo familiar havia migrado para lugar desconhecido.  Não houve comunicação de retorno ao município nem chamado do grupo para o Consultório na Rua para atendimento de saúde. Entre os que ficaram na casa, não haviam pessoas com sintomas respiratórios compatíveis com tuberculose'', diz um trecho da nota da Sesma.

Ainda de acordo com a nota da Prefeitura de Belém, os índios venezuelanos compõem uma população vulnerável. "Sempre que eles chegam à capital paraense são avaliados pelos profissionais de saúde, inclusive com testes de escarro para adolescentes e adultos e tuberculínico para crianças a fim de diagnosticar possível quadro de tuberculose e iniciar tratamento, que é compartilhado pelo Consultório na Rua com a Estratégia de Saúde da Família da área. A Prefeitura informa, ainda, que está prestando toda assistência social à família da venezuelana, por meio do Núcleo de Atendimento ao Migrante e Refugiado (NAMR), setor da Funpapa'', conclui a Sesma.  

O pastor Zildomar Souza informou que foi procurado por volta das 5h, deste sábado, pelos familiares de Pastora Rattia pedindo ajuda porque ela já havia morrido e eles queriam cuidar da remoção e enterro. Ele confirmou que equipes da Sesma e Funpapa ajudam nas tratativas do velório e sepultamento da warao. 

De acordo com Zildomar, Pastora pertencia a um grupo familiar de 13 pessoas, considerando pais, mães, irmãos e primos, que estavam num abrigo, que o pastor não soube informar qual, mas em razão de confusões e brigas com outros grupos, decidiram alugar uma casa na ocupação Parque União, que fica por trás do conjunto residencial Cordeiro de Farias, no bairro do Tapanã. 

Até então não foi possível confirmar onde a venezuelana warao iniciou seu adoecimento, se no abrigo ou na residência recente no Tapanã, nem tão pouco se se trata, de fato, de tuberculose, embora essa seja a informação de familiares de Pastora Rattia, conforme o pastor Zildomar. A tuberculose tem tratamento e cura mas tem também alto potencial de contágio, e é uma das principais causas de morte por doença infecciosa em adultos no País.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM