Ruralistas paraenses organizam arrancada do agronegócio em 2019

Encontro do setor, na Faepa, contará com presença do governador

Eduardo Rocha

Com foco em expor aos paraenses e brasileiros em geral o que o setor produz, a partir de uma Vitrine Tecnológica, e planejar ações para fortalecer a produção, inclusive, com a parceria do Governo do Estado, o 51º Encontro Ruralista começou, nesta terça-feira (11), com 200 participantes, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa). O evento prosseguirá nesta quarta-feira (12), quando contará com a participação do governador do Estado, Helder Barbalho, para assinatura de convênios com o presidente da Faepa, Carlos Xavier. 

O Brasil, como disse Carlos Xavier, vive um novo momento em que se tem uma nação com um déficit orçamentário imenso e o mesmo cenário no Estado. Assim, o caminho viável para se sair dessa situação é fortalecer a produção. "Estamos discutindo, nesse encontro, justamente essa saída; porque, eu não tenho dúvida, será dentro de poucos anos, o primeiro Estado dessa nação, mas depende de nós, produtores, paraenses, de ir buscar o caminho para o desenvolvimento gerando emprego e renda".

Xavier destacou que o agrosetor é estrutural para a vida dos cidadãos no mundo, por englobar, basicamente, a produção de alimentos. "Tudo depende do campo; a vida nossa começa lá. Na hora em que eu tenho produção, o comércio faz a troca e a  indústria processa", observou. O presidente da Faepa disse que o Pará dispõe de área para produzir e detém 3,2% da água doce do mundo, além de clima estável o que favorece a produção. Xavier disse que há 35 anos o Pará importava, de avião, carne do Rio Grande do Sul; e o Rio Grande do Sul que representava 36% do rebanho brasileiro só representa hoje 4%, e o Pará, agora, representa mais de 9%. 

O Pará possui 23 milhões de cabeças de gado bovino (quarto do País); o primeiro rebanho bubalino na faixa de um milhão de cabeças. Na área vegetal, o Pará é o primeiro na produção de abacaxi, de cacau, em dendê, açaí, mandioca, pimenta do reino, e registra produção crescente de laranja em escala mundial alidada à tendência a ser primeiro do mundo em floresta plantada.

Parceria

A Faepa coloca em prática o projeto Vitrine Tecnológica do Agronegócio Paraense, que agora conta com apoio do Governo do Estado, mediante o aproveitamento de espaço na antiga área da Pirelli para uma mostra da produção do agronegócio do Estado, incluindo ações da agricultura 4.0. Convênio nesse sentido será assinado, nesta quarta-feira (12), entre Faepa e Governo do Estado. 

Outros convênios a serem assinados entre as partes: o Fundecitros para incentivar a produção de citros, inclusive, o combate a praga da mosca da carambola; convênio com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe); com o Ideflor-PA; e sobre a montagem de indústria do cacau, partindo para 250 indústrias de chocolate no Estado. No Encontro Ruralista, serão discutidas as propostas do marco de regularização fundiária e marco regulatório ambiental. O setor do agronegócio no Estado responde por 42% de empregos no Pará (1.500.292 pessoas) e contribui com 21% do PIB dos municípios. 

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!