Pesquisadora brasileira ganha prêmio internacional de ecologia

Natural do Tocantins e atualmente morando em Belém, a bióloga Joice Ferreira é uma das vencedoras da premiação da Sociedade Britânica de Ecologia (BES) 2019

João Thiago Dias

A bióloga tocantinense Joice Ferreira, de 44 anos, que mora atualmente em Belém e é pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental, foi uma das vencedoras da premiação da Sociedade Britânica de Ecologia (BES) 2019. O reconhecimento foi na categoria “Engajamento Ecológico”, que premia um ecólogo que contribuiu para o envolvimento do grande público com as pesquisas em ecologia por meio de iniciativas de comunicação e interação em diferentes mídias no nível mundial.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (28) e nove profissionais de diferentes países estão entre os premiados. A pesquisadora vai receber a premiação em dezembro deste ano durante a conferência anual da Sociedade, em Londres.

"O prêmio diz respeito a ecólogos que usam as pesquisas para interagir com a sociedade para fazer a diferença no mundo real. No meu caso, reconheceram que com minhas pesquisas, fui capaz de orientar a criação de legislações, orientar decisões de manejo de unidades de conservação, dialogar com fazendeiros de diferentes tipos (agricultores familiares, ribeirinhos de áreas protegidas aos produtores de soja)", explicou Joice.

"No meu grupo de pesquisa, fazemos pesquisas sobre o quanto as florestas na Amazônia são resilientes as mudanças (as queimadas, mudança do clima, abertura de áreas para agropecuária, exploração madeireira etc). Esses estudos são usados para ajudar a reduzir os impactos sobre as florestas, seja orientando políticas públicas, desenvolvendo sistemas de alerta contra incêndios ou desenvolvendo estratégias p a recuperação das florestas", detalhou.

Trabalho engajado

Com mestrado e doutorado na área de Ecologia, Joice atua na Amazônia Oriental há quinze anos como pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Seu trabalho de pesquisa busca soluções para problemas socioecológicos complexos ligados à expansão agrícola, exploração florestal e queimadas na Amazônia.

Ela é uma das fundadoras da Rede Amazônia Sustentável (RAS), um consórcio de 30 instituições brasileiras e internacionais que atua na avaliação da sustentabilidade dos usos da terra na Amazônia desde 2009.

“O engajamento requer o desenvolvimento de parcerias sólidas e relacionamentos colaborativos. A participação da Embrapa na RAS tem sido fundamental para preencher a lacuna entre a ciência ecológica e o público em geral”, finalizou Joice.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM