Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Parceria quer ampliar assistência a estudantes com autismo

As ações vão envolver as áreas da saúde, assistência social e da educação

Redação Integrada

Estudantes com transtorno do espectro autista em Belém devem contar, em breve, com a ampliação de serviços a cargo do Poder Público, a partir da parceria entre a Prefeitura Municipal e o Governo do Pará. Essa temática foi debatida em reunião realizada entre o prefeito Edmilson Rodrigues e a coordenadora estadual de Políticas para o Autismo, Nayara Barbalho, nesta terça-feira (9).

“A prefeitura já tem na Secretaria Municipal de Educação uma divisão especial para atender crianças com autismo, mas nós não queremos que seja uma ação isolada”, explica o prefeito de Belém.

Integrados

A ideia é que prefeitura de Belém e Governo do Estado possam atuar de forma integrada para melhor atender esta parcela da população. "Nós viemos apresentar a política estadual de proteção aos direitos da pessoa com autismo, que é uma política nova - foi sancionada em 2020 pelo governador Helder Barbalho -, e apresentar essa proposta de integrar, trabalhar em parceria com a prefeitura para que nós possamos replicar as ações da política estadual no município”, esclarece Nayara Barbalho.

As ações vão envolver as áreas da saúde, assistência social e da educação, de acordo com a diretora de Educação da Semec, Dorilene Melo, que também esteve na reunião.

Dorilene ressalta que a a Secretaria vai atuar no atendimento, que já é realizado no Centro de Referência de Inclusão Educacional (Crie) e, com a parceria com o estado, esse atendimento será fortalecido, especialmente na formação de professores, diretores e coordenadores das escolas municipais de Belém.

Diagnóstico

Para o prefeito de Belém esta formação de professores vai facilitar o diagnóstico de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e a inclusão deste público no sistema municipal de ensino. “Se não se diagnostica, essa criança muitas vezes é matriculada numa escola regular e é maltratada, porque ela é vista como o menino que não tem atenção, que não quer estudar e acaba sofrendo uma violência”, ressalta Edmilson Rodrigues.

Ainda esta semana uma nova reunião deve ser marcada entre a Semec e a Coordenadoria Estadual de Políticas para o Autismo, onde será oficializada a cooperação e criado um planejamento de ações práticas para o atendimento de crianças com TEA na rede municipal de Belém.

A expectativa da Semec é que a cooperação seja implementada no início do ano letivo 2021, no mês de março.

O Centro de Referência em Inclusão Educacional "Gabriel Lima Mendes" (CRIE) visa a promover e fomentar a inclusão de alunos com deficiência nas salas regulares das escolas municipais de Belém. O trabalho é realizado por meio de núcleos, programas e projetos que atendem esses alunos e as famílias.

Atualmente, 1.924 estudantes são atendidos pelo centro, incluindo alunos com deficiência física, auditiva, visual, intelectual, múltipla, surdos-cegos, com altas habilidades/superdotação e com transtorno do espectro autista.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM