Espuma branca surge no Parque do Utinga e mobiliza órgãos ambientais

Amostra do material foi encaminhada para análise no Instituto Evandro Chagas (IEC) e pode ser resultante da atividade humana

Redação Integrada

Técnicos do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) e do Batalhão de Polícia Ambiental, coletaram na manhã desta quinta-feira (10) uma amostra da espuma de cor branca que surgiu no solo do Parque Estadual do Utinga, em Belém. O material foi encaminhado para análise no Instituto Evandro Chagas (IEC). O Parque do Utinga abriga o manancial dos Lagos Bolonha e Água Preta que abastece mais de 1,4 milhão de habitantes na Região Metropolitana de Belém.

Assista o vídeo:

O Ideflor-Bio também solicitou à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) o envio de uma equipe de fiscalização até à área nesta sexta-feira (11) para apuração das possíveis causas do incidente ambiental.

Segundo o Ideflor-Bio, para chegar ao local em que a espuma branca apareceu foi preciso acessar o Parque pela passagem Maria Helena, no bairro Castanheira. De acordo com os agentes do Batalhão de Polícia Ambiental, o material que se encontra nessa área é possivelmente oriundo de um fluxo de água que pode estar sendo despejado por algum comércio da região.

Em nota, a Cosanpa informou que "o ponto onde a espuma foi encontrada é distante do ponto de captação, portanto, neste momento, não há nenhum risco de contaminação da água que chega à Estação de Tratamento do Bolonha'', diz um trecho do documento.

A notícia do material na superfície de uma área do Parque do Utinga mobilizou, de imediato os órgãos ambientais estaduais. O espaço abriga a Estação de Tratamento do Bolonha, responsável por 70% do abastecimento de água de Belém. O Ideflor-Bio e a Semas são responsáveis pela preservação da área do Parque do Utinga.

Saiba mais sobre o Parque Ambiental do Utinga

O Parque Estadual do Utinga é uma Unidade de Conservação (UC) Estadual de Proteção Integral. O espaço foi criado em 1993, quando ficou conhecido como Parque Ambiental de Belém. Só no ano de 2008, por meio de um decreto governamental, a área passou a ter o nome atual.

A área do Parque é de 1393,088 hectares, o que corresponde a cerca de 1.400 campos oficiais de futebol.  A Unidade de Conservação preserva uma importante área verde da capital paraense e também estimula atividades científicas, culturais, de educação ambiental, turismo e lazer, tendo aproximadamente 400 espécies de animais e 151 espécies de plantas.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!