Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Dia Nacional de Controle da Asma: entenda como fazer o tratamento certo da doença

Se não controlada a asma pode causar a morte

Laís Santana

Nesta terça-feira (21), é celebrado o Dia Nacional de Controle da Asma, doença crônica que atinge os pulmões, causando inflamação das vias aéreas e sintomas como falta de ar, tosse, sensação de aperto e chiado no peito que ocorre pela obstrução da passagem de ar pelos brônquios inflamados. O objetivo da data é chamar atenção para a conscientização de que a asma é uma doença tratável, que permite ao paciente ter qualidade de vida se controlada. No Brasil, a doença atinge aproximadamente 20 milhões de pessoas e está entre a terceira e quarta causa de hospitalização no Serviço Único de Saúde (SUS). 

O médico pneumologista Rubens Tofolo Junior explica que para ser diagnosticado, o paciente deve ser submetido a um exame chamado espirometria. Já o tratamento é feito a longo prazo através do uso de anti-inflamatórios, que são corticoides inalados associados a medicação broncodilatadora de ação rápida ou longa. 

Contudo, o especialista ressalta que se não estiver controlada, a asma pode ser fatal. "A asma quase fatal, forma mais grave da doença, é a que pode causar ataque súbito acompanhado de parada respiratória. Essa apresentação é responsável por cerca de 16% dos casos da doença, de acordo com um estudo brasileiro. Foi esta a causa da morte da escritora e apresentadora Fernanda Young, em 2019", relembra. 

O tratamento da asma depende dos fenótipos da doença, classificados da seguinte forma: asma de início na infância, asma relacionada a obesidade, asma de início na fase adulta, asma ocupacional, asma na gestação, asma desencadeada por aspirina e asma associada a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica).

"Deve-se tratar também as patologias que podem piorar o curso da doença como rinossinusites, refluxo gastroesofágico, bronquiectasias, distúrbios psiquiátricos e DPOC", pontua Rubens Tofolo Junior. 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), a doença pode variar a gravidade dos sintomas de acordo com cada paciente. A asma pode ser classificada em leve, moderada e grave e, independentemente da gravidade, existem caminhos e alternativas para manter a asma sob controle. A doença é considerada grave e/ou de difícil controle quando o paciente não alcança os níveis adequados de controle. Apesar de representarem a minoria entre o total de pacientes com asma (5 a 10%), os brasileiros com asma grave vão ao hospital até 15 vezes mais do que os pacientes com asma leve ou moderada e são até 20 vezes mais hospitalizados. Por isso, é fundamental consultar um médico especialista, pneumologista e/ou alergologista, de forma a adequar o tratamento às necessidades específicas de cada paciente. No Brasil, apenas 9% dos pacientes com asma têm a doença 100% controlada, e 34% não possuem nenhum controle dos sintomas. 

Com o tratamento adequado é possível viver praticamente sem sintomas. "Basta fazer as medicações e recomendações prescritas pelo pneumologista que consegue ter um excelente controle em 95 porcento dos casos. Recomenda-se também fazer atividade física e evitar ao máximo a exposição aos alérgenos. Umidificar o ambiente e manter-se bem hidratado. Esta data é importante justamente para lembrar ao asmático que ele precisa fazer o tratamento de forma adequada. Muitos não fazem o tratamento de manutenção de forma adequada, por isso, podem evoluir para a forma grave da doença e inclusive morrer", acrescenta o pneumologista. 

Confira algumas recomendações para manter o controle da doença: 

  • Não fume. Numa família de asmáticos ninguém deve fumar. Evite o contato com fumaça e com fumantes;
  • Todos os membros de uma família de asmáticos precisam ser orientados a respeito das características da doença e das crises. A informação correta ajuda a reduzir os mitos que cercam a doença e os doentes;
  • Identifique os sintomas iniciais das crises e tome as medidas necessárias para que não se tornem graves;
  • Submeta-se a testes de pele para identificar possíveis alergias a alguma substância específica;
  • Evite apanhar resfriados e gripes;
  • Fumaças, gases, cheiros de tinta, de produtos de limpeza ou de higiene pessoal e perfumes podem ser prejudiciais aos asmáticos. Fuja deles;
  • Evite mudanças abruptas de temperatura;
  • Exercite-se moderadamente todos os dias. Não cometa excessos. A asma não deve limitar a vida ou a atividade física de ninguém. Caminhar, nadar e pedalar são atividades muito saudáveis;
  • Tome muito líquido. Recomenda-se ingerir de cinco a oito copos por dia. Isso ajuda a diluir a secreção brônquica e facilita a expectoração;
  • Pratique exercícios respiratórios. Ioga pode ser uma boa sugestão;* Não tome medicamentos indutores do sono, que usualmente tornam a respiração mais lenta;
  • Se café, chá ou outro produto qualquer mantêm você desperto, não os tome no fim da tarde ou à noite;
  • Use broncodiltadores ou outros medicamentos prescritos por seu médico. Evite a chamada medicação caseira. Inaladores orais podem ser muito eficientes;
Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM