Criança é encontrada morta em abrigo de venezuelanos Warao, em Belém

Caso está sendo investigado e chocou alguns servidores que trabalham no abrigo

Redação Integrada de O Liberal

Uma criança de dois anos foi encontrada morta em um abrigo de indígenas venezuelanos da etnia Warao, em Belém. O local fica na travessa Campos Sales, entre as ruas Aristides Lobo e Riachuelo. Servidores públicos estaduais e municipais ficaram chocados com a cena. O caso está sendo investigado. Veja imagens do abrigo e da chegada do pai ao local:

LEIA TAMBÉM: Waraos denunciam descaso em abrigo do Tapanã; Prefeitura nega

Thyago Rezende, voluntário do grupo Venezuelanos Belém, informou que a criança já vinha sendo acompanhada. Estava doente há algum tempo e morreu após uma crise de tosse. Não há confirmação sobre ser um caso de covid-19, já que isso requer exames mais detalhados.

No local, há muita desorganização, bagunça e sujeira. Não é a primeira vez que indígenas acolhidos nos abrigos reclamam de descaso. Recentemente, houve reclamações no abrigo que fica no Tapanã.

O voluntário ressalta que a alimentação dos indígenas é muito deficiente e todas são desnutridas em algum nível. A criança morreu dentro de um quarto onde a diária custa R$ 30, sem qualquer apoio direito.

Um servidor da Guarda Municipal de Belém, que estava no local, apenas disse que um boletim de ocorrência seria feito, na Seccional do Comércio. Nem Polícia Militar e nem Polícia Civil têm informações sobre o caso ainda.

Criança era atendida por consultório de rua da prefeitura


Em nota publicada no início da tarde desta quarta-feira (18), a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) confirmou que a criança de dois anos, R.M.P, estava refugiada em Belém desde o dia 1 de novembro. Segundo afirma a Sesma, ela "vinha sendo assistida pela equipe do Consultório da Rua (CNR), porém, o quadro de saúde da mesma se agravou hoje (18)".

A Sesma disse ainda que, por volta das 10h20, equipes da secretaria foram comunicadas de que a criança "estava apresentando dificuldades para respirar". A Sesma diz que "orientou responsável a  acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para resgate, mas por conta do quadro de saúde que a criança se encontrava, a mesma não resistiu e veio à óbito ainda no local de moradia".

Casa não é abrigo municipal 


A Fundação Papa João XXIII ( Funpapa), também vinculada à Prefeitura Municipal de Belém, informou que "irá prestar toda assistência com auxílio funeral a família da criança que veio a óbito.

A Funpapa destacou, ainda, através de nota, que a casa localizada na Campos Sales, onde a criança faleceu, "não é administrada pela Prefeitura de Belém".

A Prefeitura Municipal de Belém também disse, em sua nota oficial, que lamenta e se solidariza com a dor dos familiares da criança falecida.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM