Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Covid-19: quase 10% dos casos têm lesões de pele e cabelos como sintomas e sequelas

Segundo um guia lançado pela SBD, as urticárias ou as manchas vermelhas podem ser os primeiros sintomas da covid, antes mesmo dos demais sintomas mais comuns como febre, tosse, cansaço, falta de olfato e paladar

Emanuele Corrêa

O novo coronavírus é uma infecção viral em constante estudos e entre as pesquisas sobre suas consequências, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desenvolveu um guia para apresentar à população a relação da covid-19 com as lesões de pele, unhas e cabelos, que às vezes, mesmo em casos assintomáticos, podem ser os únicos indícios de um quadro da doença. De acordo com a SDB, 6 a cada 100 pessoas apresentam lesões, o que representa 8% dos casos.

Todas as informações estão disponíveis no Guia sobre a Covid e suas manifestações cutâneas. Clique aqui para acessar.

Danielle Sousa, médica dermatologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) explica a importância do guia para o acompanhamento médico-dermatológico que além de esclarecer dúvidas com bases científicas - ao todo 1.500 publicações científicas em menos de um ano -, ajuda ao paciente infectado, identificar com mais clareza os novos sintomas do início da doença, mas também, as consequências quando o quadro já está superado.

"O guia ajuda a entender de forma didática e simplificada [como] a covid-19 pode afetar a pele e seus anexos (cabelos e unhas). Em caso de lesões cutâneas, as pessoas não devem se automedicar, pela possibilidade de agravar ou retardar o diagnóstico e tratamento precoces, não só da covid-19, mas de outras patologias também. Procure um médico dermatologista", ressaltou a dermatologista.

As lesões mais comuns de pele, são os exantemas - as manchas vermelhas no corpo -, já no cabelo, aponta Danielle, é mais recorrente o Eflúvio Telógeno Agudo (ETA), caracterizado por uma queda capilar intensa, em caso de doenças e estresse. "As unhas, menos acometidas, costumam apresentar-se mais frágeis e quebradiças, por conta da extensa reação inflamatória presente na covid-19. Existe um sinal, ainda pouco descrito, que seria o 'Sinal da lúnula vermelha', uma faixa vermelha em meia lua nas unhas de ambas as mãos, porém pouco frequente", observou.

"No consultório/urgências cheguei a atender e avaliar pacientes com eritema pérnio (lesões arroxeadas nas extremidades) e pacientes com exantema maculopapular, e lesões urticariformes, junto ao diagnóstico da covid-19 por RT-PCR, fazendo diagnóstico de presunção de manifestações cutâneas decorrentes da covid, após descartar outras patologias mais comuns. Pelo menos 10 pacientes dentre cerca de 1000, dos quais atendi", completou.

A dermatologista considera importante o acompanhamento regular anualmente e destaca que atualmente a principal queixa nos atendimentos de consultório, são relacionados a queda de cabelo, condição agravada pela covid.

"Todo caso de queda de cabelo deve ser motivo de consulta com dermatologista, pois existem inúmeras causas, desde deficiências nutricionais, à doenças como hipo/hipertireoidismo, alopecias cicatriciais, que evoluem com perda permanente de cabelo. E outras causas relacionadas à auto-imunidade, como a Alopecia Areata, tão falada devido ao ocorrido no Oscar com a Jada, esposa de Will Smith... A pele é o órgão mais extenso do corpo, além de apresentar doenças cuja causa está na própria pele, ainda é capaz de auxiliar no diagnóstico de outras patologias que manifestam-se através de lesões cutâneas", finalizou.

O guia traz informações didáticas e revela que as lesões podem ocorrer em adultos e crianças.

Conheça os sintomas de sequelas pós-covid-19 na pele:

- Machas vermelhas no corpo chamadas de 'exantema' ou 'Rush'. É um quadro comum em outras infecções virais, como dengue e sarampo e em reações alérgicas. Surge nos primeiros dias da covid e pode melhorar com a recuperação do quadro.
- Machas arroxeadas na ponta dos dedos
- Urticária
- Vesículas e bolhas

-  Dedos Covid ou pseudo eritema pérnio: manchas avermelhadas ou arroxeadas nas pontas dos dedos dos pés ou mãos, nariz e orelhas. Causa aumento da sensibilidade e pode dificultar tarefas como lavar louça com água fria e calçar sapatos. Melhora espontaneamente em algumas semanas com auxílio de medicamentos.

- Manifestações vasculares (em casos mais graves), podem ocorrer as machas roxas, úlceras e necrose das extremidades, entre duas ou quatro semanas do início dos sintomas.

- Queda capilar após a covid-19: queda ou eflúvio telógeno, é uma condição frequente após algumas doenças ou situação de estresse. A covid é também um fato desencadeante dessa queda, que inicia três meses após a infecção viral.

Segundo o guia da SBD, as urticárias ou as manchas vermelhas podem ser os primeiros sintomas da covid, antes mesmo dos demais sintomas mais comuns como febre, tosse, cansaço, falta de olfato e paladar. Em casos de pessoas assintomáticas - sintomas clássicos - estes podem representar as únicas manifestações da doença. Crianças podem ter lesões específicas, as mais comuns são as dedos covid e a síndrome inflamatória multi-sistêmica, que é bem rara. 

Serviço - atendimento de reabilitação pós-covid-19

Programa Triagem Pós-Covid, que funciona na Policlínica Metropolitana, em Belém recebe agendamento pelo WhatsApp, por meio de marcação eletrônica que direciona ao canal de atendimento (91) 98521-5110 ou pelo o e-mail: agendamento.polimetropolitana@issaa.org.br. Importante ter em mãos: RG, CPF, comprovante de residência e cartão SUS.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM