Belém reduz casos de doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, não há registro de morte por dengue em Belém desde 2015

Redação Integrada

No Dia Nacional de Combate à Dengue, que é celebrado neste sábado, 21, Belém celebra a diminuição expressiva no número de caso, pois com o trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) nos últimos oito anos, o número de casos reduziu de 1921 para 126. O objetivo é reduzir cada vez mais os casos da doença na cidade, pois a dengue, assim como o Zika e a Febre Chikungunya, é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti.

O foco principal do combate é o mosquito transmissor da dengue e sua proliferação. A vigilância adotada pela Sesma segue os padrões recomendados pelo manual de normas técnicas e as diretrizes nacionais do Ministério da Saúde, com assistência em ciclos bimestrais a todos os imóveis do acervo registrados na base de dados municipal, e também mantém locais como cemitérios, sucatas, borracharias, obras em construções, entre outros, em vistorias quinzenais.

As ações do Programa Municipal de Controle do Dengue (PMCD) são pautadas no diagnóstico de cada situação encontrada em determinado domicílio ou imóvel, seguido de orientações e recomendações dos Agentes de Combate às Endemias (ACE).

De acordo com David do Rosário, enfermeiro da Vigilância Epidemiológica, é importante que os locais que promovem a assistência à saúde notifiquem as pessoas sugestivas às Arboviroses, para que a partir de então, um protocolo de ações do PMCD seja iniciado. “Devemos ressaltar a importância da atuação ativa de toda a população para evitar possíveis criadouros em suas residências, escolas e ambientes de trabalho, somando esforços com as atividades de rotinas do Programa Municipal de Controle do Dengue", afirma.

Durante o período entre 2012 e 2020, o quadro de Agentes de Combates às Endemias (ACE) passou de 374 para 701, e o resultado dos trabalhos no combate ao mosquito Aedes aegypti mostra que os 1921 casos registrados em 2012, que equivalem a uma taxa de incidência de 136,20 casos por 100 mil habitantes, caiu para 126 casos em 2020, taxa equivalente a 8,44 casos por 100 mil habitantes. Não há registro de morte por dengue em Belém desde 2015.

Serviço

A Sesma disponibiliza o Disque Endemias (3184-6128), que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e registra denúncias de focos do mosquito, orienta a população no combate ao vetor e esclarece sobre sintomas da doença.

 

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM