Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Área no conjunto Bela Vista segue em disputa, em Belém

Associação de moradores está vigilante para denunciar qualquer sinal de construção

Camila Guimarães

Moradores do entorno da avenida Centenário com a Júlio César, no bairro de Val-de-Cans, em Belém, denunciaram, no último sábado (28), uma suposta invasão em uma área de preservação ambiental pertencente ao conjunto Bela Vista. A associação de moradores do conjunto diz que está vigilante para acionar a polícia a qualquer momento, caso constate a presença de materiais de construção na área.

De acordo com o presidente da associação de moradores do conjunto Bela Vista, Mateus Giácomo, a área em questão foi doada para o Parque Ecológico de Belém ainda na década de 1990, antes da construção da Avenida Centenário, que dividiu a área em duas partes: uma para o lado do Bela Vista e outra do Médici (Marambaia).

“Existe uma documentação em cartório dessa doação para o Parque Ecológico. Mas há cerca de 10 anos atrás, quando veio a Centenário, a antiga diretoria do conjunto começou a vender os lotes, dizendo que não tinham doado nada”, conta o presidente.

Mateus diz que grandes empresários compraram os terrenos por valores de, no mínimo, R$ 500 mil. Esta semana, um homem foi flagrado roçando a área, o que acendeu o alerta de que os compradores dos terrenos pudessem começar a construir seus empreendimentos, mesmo havendo uma liminar na justiça que determina a proibição de qualquer tipo de ação nas terras.

A gente fez denúncia, a polícia já veio, mas não fizeram nada ainda porque não tinha material de construção no local. A gente está vigilante para acionar a polícia novamente caso apareça qualquer material de construção na área”, relata o presidente da associação. 

Mateus conta, ainda, que algumas áreas já chegaram a ter construções iniciadas, cuja responsabilidade de demolição seria da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), por se tratarem de construções ilegais. A Seurb foi contactada pela redação integrada de O Liberal para prestar os devidos esclarecimentos, mas, até agora, não houve retorno.

O advogado dos compradores do lote do conjunto, Manoel Machado, negou a acusação dos moradores e explicou que toda a área é de propriedade particular. Segundo ele, a área de preservação ambiental que foi cedida para a construção do parque ambiental pertence ao conjunto Médici e não ao Bela Vista. O advogado disse ainda que no conjunto Bela Vista há três bosques com vegetação intacta que continuarão preservados.

 

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM