Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

'Apologia ao crime de pedofilia', dizem vereadores de Ananindeua sobre filme com Gentili e Porchat

Uma nota de repúdio contra “Como se tornar o pior aluno da escola” foi aprovada em sessão ordinária nesta terça-feira (15)

O Liberal

A Câmara Municipal de Ananindeua aprovou, durante a sessão ordinária desta terça-feira (15), uma nota de repúdio ao filme “Como se tornar o pior aluno da escola”, lançado em plataformas de streaming. O documento foi assinado pela maioria dos parlamentares nesta quarta (16).

Uma polêmica foi criada no último domingo (13) sobre uma das cenas do longa, produzido em 2017 e inserido no catálogo da Netflix no mês de fevereiro, quando o ministro da Justiça, Anderson Torres, postou em suas redes sociais comentários classificando o trecho do filme como “asqueroso” e determinando que vários setores da pasta adotem as providências cabíveis sobre o caso.

A cena em questão apresenta o momento em que dois jovens são levados para a direção da escola e o inspetor, vivido por Fábio Porchat, tenta molestar os garotos, pedindo que eles o masturbem. Não há encenação explícita do ato.

A classificação do filme, alvo de outras críticas à época de lançamento, por mostrar outras cenas de bullying entre adolescentes no ambiente escolar, é de 14 anos, e foi a recomendação etária do próprio Ministério da Justiça – naquele ano comandado pelo ministro Torquato Jardim, que atuou durante a gestão do então presidente Michel Temer (MDB).

Alepa também repudiou o filme

O assunto também rendeu na sessão da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) desta semana, quando uma nota de repúdio, solicitada pelo deputado Martinho Carmona (MDB), foi aprovada.

“É uma apologia à pedofilia, uma verdadeira afronta a qualquer pai, mãe, tio, tia. O filme mostra sem nenhuma maquiagem, e vem com o objetivo de desestabilizar adolescentes que estão numa fase de definição da sua própria personalidade, na hora que estão moldando o caráter, vem um filme que afronta os professores”, disse Martinho Carmona.

Classificação indicativa é questionada

Para o presidente da Câmara, Rui Begot (Avante), o longa deveria ser proibido para menores de 18 anos, não 14, conforme classificação indicativa da produção. “Esse repúdio é virtude ao filme que está disponível para maiores de 14 anos em vez de dezoito. Então, como ele está sendo exibido aqui no Brasil, a gente quer proteger as famílias de Ananindeua”, explicou o parlamentar.

Begot reitera também que a ação não tem conotação ideológica partidária. “Mas que fique bem claro que nós não estamos agindo com ideologia política. É uma questão de interpretação mesmo. Não estamos levantando bandeira de partido, mas sim de defesa das nossas crianças”, completou.

Entre os parlamentares, o único a criticar a repercussão do assunto na tribuna, o vereador Bob Fllay (sem partido) apoiou a nota, mas afirmou que não acha legal “dar palco” para o caso, visto que as visualizações do filme na plataforma só cresceram após as manifestações.

Leia a nota de repúdio na íntegra:

“A Câmara Municipal de Ananindeua, na pessoa de seu presidente vereador Rui Begot, atendendo à manifestação do excelentíssimo senhor vereador Aurélio Rodrigues, vereador Felix Junior e vereadora Pastora Ray Tavares, vem a público manifestar veemente repúdio por conta da exibição do filme "Como se Tornar o Pior Aluno da Escola - Netflix" com a participação dos apresentadores Danilo Gentili e Fabio Porchat, no qual são divulgadas cenas com conteúdo de pedofilia, ficando visualmente explícito o ato criminoso de estupro de vulnerável, crime de incitação, apologia ao crime de pedofilia e crime contra a paz pública.

O filme afeta profundamente nossos valores éticos e morais, no âmbito da família e da sociedade em geral, o que despertou a reação da sociedade e dos poderes constituídos envolvendo os referidos protagonistas, acusados de promover pedofilia, tendo inclusive o Ministro da Justiça Anderson Torres determinado à “@JustiçaGovBr" a adoção das providências legais cabíveis para o caso, assim como o secretário Mario Frias, afirmou estar fazendo o mesmo no âmbito da Cultura.

O filme de Porchat e Gentili, ao realizar explicitamente a divulgação e até mesmo incentivo ao abuso sexual, é no mínimo repugnante ao naturalizar a pedofilia e ao mesmo tempo que a normatiza, o que urge pelo nosso mais veemente REPÚDIO e providências imediatas contra este abuso, que protagoniza uma verdadeira afronta às famílias, crianças e adolescentes.

Diante da gravidade dos fatos, e ao bem da preservação dos preceitos constitucionais protetores da sociedade e da família, a Câmara Municipal de Ananindeua ratifica a sua posição contrária aos fatos acima articulados, solicitando que a presente NOTA DE REPÚDIO, assinada por todos os vereadores desta Casa de Leis, seja encaminhada à Netflix, ao Ministério Público, aos Juizados e Conselhos Tutelares da Criança e do Adolescente, para que sejam tomadas as providências legais cabíveis, a fim de que os protagonistas e demais responsáveis pela direção e divulgação do filme em questão respondam pelos atos praticados, sem prejuízo das cominações legais pertinentes.”

 

Ananindeua
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS DE ANANINDEUA

MAIS LIDAS EM ANANINDEUA