Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

PEC que assegura piso da enfermagem passa pela Comissão de Justiça da Câmara

Matéria segue agora para comissão especial, antes de ser votada em plenário

O Liberal

Foi aprovada nesta segunda-feira (20), pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados o texto da Proposta de Emenda à Constituição 11/2022, que trata sobre o piso salarial nacional dos profissionais de enfermagem. A matéria foi proposta após a aprovação do PL 2.564/2020, de autoria do senador Fabiano Contarato (PT-ES), que prevê piso mínimo inicial para enfermeiros no valor de R$ 4.750; de 70% desse valor para os técnicos de enfermagem e 50% para os auxiliares de enfermagem e as parteiras. As informações são da Agência Brasil.

VEJA MAIS

Empreendedorismo na enfermagem está em alta, afirma integrante da comissão da Cofen
Ludimila Cunha afirma que o número de profissionais da categoria que busca abrir o próprio negócio tem crescido e destaca quais são as áreas mais fortes

Piso salarial da Enfermagem avança no Congresso Nacional
PEC vincula pagamento dos servidores públicos aos investimentos em saúde, mas ainda falta mecanismo para o segmento da iniciativa privada e instituições filantrópicas

Projeto que garante piso nacional da enfermagem é aprovado pelo Senado
Medida deve beneficiar 1,3 milhão de profissionais que recebem abaixo do piso, segundo Conselho Federal de Enfermagem. Projeto garante segurança jurídica à aplicação do piso

Aprovação de piso da enfermagem deve beneficiar 91.295 mil enfermeiros paraenses
O projeto é de autoria do senador Fabiano Contarato, do Espírito Santo

A PEC em tramitação na Câmara garante segurança jurídica para implementação do piso nacional da enfermagem, alterando dois incisos do artigo 198 da Constituição para que o pagamento do piso esteja atrelado aos investimentos da saúde nos estados, no Distrito Federal e nos municípios.. Com a aprovação na CCJ, o texto segue agora para a comissão especial, que deverá discutir a proposta antes de sua apreciação em plenário.

Durante a votação na Comissão, o deputado Bilac Pinto (União Brasil-MG) defendeu que a comissão especial defina qual será a fonte de custeio desse piso salarial. “Nós somos a favor, mas não podemos botar essa conta somente para as prefeituras e para os hospitais”, disse.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA