Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Mais de 20 mil agentes segurança atuarão nas Eleições 2022

Contingente de agentes do Estado e Forças Armadas para o 1º e possível 2º turno foi apresentado ontem (23)

Daleth Oliveira

Nesta quinta-feira (22), o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) se reuniu com as Forças de Segurança do Estado para definir o Planejamento Operacional de Segurança nas Eleições de 2022. Na ocasião, foi informado que o contingente para atuar no dia do pleito, 2 de outubro, será de mais de 20 mil agentes de segurança pública.

VEJA MAIS

Eleições 2022: Segup define esquema para os dias de votação no Pará
Reunião alinha participação das forças de segurança durante todo o processo eleitoral

Urnas já começam a ser preparadas no Pará; entenda o processo de segurança
Envio dos equipamentos para municípios mais distantes começa dia 28 de agosto

Astrólogo prevê risco de morte e recomenda reforço na segurança de Lula e Bolsonaro
O astrólogo Eric Santine considera em previsão que próximos dez dias serão tensos para os principais candidatos da presidência

Do total, 8 mil agentes do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) estarão nos 144 municípios. As Forças Armadas (Aeronáutica, Marinha e Exército) vão disponibilizar 12.833 militares para atuar em 78 cidades paraenses. Foi anunciado também que para assistir às 19.704 seções eleitorais com transporte das urnas eletrônicas, servidores e outros equipamentos importantes para o processo eleitoral, serão utilizados seis aviões, quatro helicópteros, 616 embarcações e 2.780 veículos terrestres para atuar na logística.

Participaram também da reunião representantes da Polícia Civil, Departamento de Trânsito (Detran), Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob); Corpo de Bombeiros; Guarda Municipal de Belém e dos municípios de Ananindeua e Marituba; Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

A desembargadora presidente do TRE-PA Luzia Nadja Guimarães Nascimento explicou que o objetivo é que as forças de segurança pública trabalhem em cooperação mútua para garantir o bom andamento das eleições. “O colegiado instituiu um plano único definindo que, mesmo em locais de votação em que nem todas estarão, todas as instituições manterão comunicação para, caso haja necessidade, elas possam realizar o deslocamento para dar apoio. Entretanto, acreditamos que isso não será necessário, pela população paraense que sempre é muito tranquila”, afirmou.

Ela destacou também a novidade neste pleito. Para evitar o uso do celular por meio do eleitor na cabine de votação, neste pleito haverá um espaço reservado para o armazenamento temporário do aparelho telefônico. “Essa proibição sempre existiu do nosso eleitorado. Porém, neste ano nós vamos colocar uma mesa ao lado da cabine onde as pessoas deixarão o celular, pegando de volta após a votação. Com isso, almejamos a proteção do sigilo do voto, que é uma garantia não apenas do eleitor mas também da sociedade”, pontuou.

“Nós estamos mapeando determinadas circunstâncias que poderão vir a ocorrer em determinados locais de votação. Temos uma rede de inteligência, não só a nível estadual, como a nacional, para evitar que haja qualquer tipo de situação que venha a constranger o eleitor no exercício do voto”, finalizou a desembargadora.

Representando a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), o tenente-coronel Glauco Maia disse que os agentes atuarão em pontos estratégicos dos municípios paraenses. "Visando a realização pacífica das eleições, foram estipuladas algumas áreas de interesse operacional, que são os cartórios, pontos de votação e apuração. Estaremos nas 144 cidades, mas 139 terão reforço no interior do Estado. Também estamos trabalhando em conjunto com a Secretaria de Saúde para termos equipes de socorros nos locais de votação de 8h às 17h. Nos dias 2 e 30 de outubro também estaremos nas ruas fortalecendo a segurança nas festas da vitória”, informou.

O General Evandro Ferreira, subcomandante do Comando Conjunto Norte, acrescentou que o aumento da presença das Forças Armadas nos municípios paraenses neste pleito é pontual para garantir a lisura do processo eleitoral. Em 2018, 61 cidades foram contempladas.

“Nesta operação 2022 temos, mais uma vez, a finalidade de salvaguardar a votação e a apuração com segurança. Para isso, nós estamos reforçando os efetivos para garantir o direito de ir e vir do cidadão, de exercer seu voto de maneira democrática e também apoiar logisticamente com o transporte de urnas, materiais, e pessoal do TRE”, garantiu.

Palavras-chave

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA