Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Leite defende investigação em SP e cutuca Doria: 'O que ele chama de choro, eu chamo de ética'

Declaração foi dada em entrevista exclusiva ao Grupo Liberal, ao responder sobre a decisão da Executiva do PSDB de retirada provisória de 92 filiados do partido no diretório de São Paulo

O Liberal

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirma que a definição da Executiva Nacional do PSDB de retirada provisória de 92 filiados, feitas pelo diretório de São Paulo e que seriam pró-João Dória, reforça a seriedade do processo de prévias do partido. As prévias para a escolha do candidato tucano para as eleições presidenciais ocorrem no dia 21 de novembro e tem, na disputa, o próprio Eduardo Leite, o governador de São Paulo, João Doria e o ex-senador Arthur Virgílio, do Amazonas.

VEJA MAIS

Pré-candidato à presidência da República, governador Eduardo Leite chega hoje a Belém Eduardo Leite vem à capital paraense para buscar apoio para a candidatura à presidência da República

Em apoio a Eduardo Leite, Tasso Jereissati pede licença do Senado e também vem a Belém Na capital paraense, o senador tucano vai participar de evento interno do partido, com a presença do governador gaúcho

Para o governador gaúcho, a investigação caso a caso dessas filiações ao diretório paulista demonstram “de forma clara, que são contundentes as provas, que são fortes os indícios de fraudes”. A declaração do governador foi dada durante entrevista exclusiva ao Grupo Liberal, que será publicada na edição deste domingo (31) na versão impressa e em O Liberal.com.

Polêmica

Na última quarta-feira (27), o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, determinou retirada dos nomes de 92 prefeitos e vices paulistas da lista de eleitores das urnas eletrônicas das prévias presidenciais, por suspeita de irregularidades nas datas de filiações desses políticos. A decisão foi mantida pela Executiva Nacional do partido na quinta-feira (28).

Para Leite, essa medida é uma ação importante para não manchar as prévias tucanas. “A regra é de filiação até o dia 31 de maio e o que nós observamos foram filiações que foram feitas depois, mas com data retroativa. Um caso grave, que precisa de rigorosa apuração, com consequências para quem tenha deliberadamente fraudado essas filiações”, disse. 

A medida de retirada foi tomada após questionamentos feitos por diretórios aliados de Eduardo Leite. O governador João Dória, sem citar Eduardo Leite, disse que a medida era “choro e reclamação”. Para Eduardo Leite, não. “O que ele chama de choro, eu chamo de ética, de democracia, de regras bem estabelecidas", disse. 

Agenda

Eduardo Leite participa, na manhã deste sábado (30), de encontro com correligionários locais, para apresentar suas propostas. Ele busca a indicação dos tucanos paraenses para concorrer à Presidente da República nas eleições do próximo ano. As prévias do partido estão marcadas para o dia 21 de novembro. Dos encontros, participam lideranças locais, como o ex-governador Simão Jatene e o ex-senador, Flexa Ribeiro, além da juventude tucana, que declarou apoio ao governador gaúcho na disputa que trava com o governador de São Paulo, João Doria. 

Na capital paraense, o governador do Rio Grande do Sul participa de café da manhã com políticos do partido, às 8h, em um hotel no bairro de Nazaré. Em seguida, por volta das 9h30, concede uma entrevista coletiva. A reunião com a militância está programada para começar as 10h e terminar ao meio dia. De Belém, Eduardo segue para o Estado do Tocantins.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA