Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Em sua 'estreia' no comando do TSE, Moraes defende atuação conjunta por paz e segurança nas eleições

Novo presidente do TSE se reuniu nesta quarta com representantes dos 27 tribunais regionais eleitorais

Luciana Carvalho

Nesta quarta-feira (17), em seu primeiro compromisso como presidente do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Alexandre de Moraes defendeu que a Justiça Eleitoral atue de forma conjunta e preventiva para garantir paz, segurança e transparência nas eleições de outubro. As informações são do portal G1 Brasília.

A declaração foi feita aos representantes dos 27 tribunais regionais eleitorais, que cuidam da organização do pleito em nível estadual. A reunião do presidente do TSE com representantes dos tribunais locais é um procedimento de praxe quando ocorre a troca no comando da Corte Eleitoral.

O ministro assumiu a presidência do tribunal nesta terça-feira (16) com um forte discurso em defesa da democracia, da eficiência, segurança e transparência das urnas eletrônicas e foi aplaudido de pé pelos mais de 2 mil convidados no plenário da Corte.

VEJA MAIS

'Liberdade de expressão não é liberdade de agressão', afirma o ministro Alexandre de Moraes
O pronunciamento foi feito no momento em que Moraes era empossado como presidente do TSE

Ministro Alexandre de Moraes toma posse como novo presidente do TSE; assista
O ministro Ricardo Lewandowski foi empossado vice-presidente da Corte Eleitoral na mesma cerimônia

Eleições 2022: Saiba quem é o coronel excluído de grupo de fiscalização pelo TSE
Apesar de currículo respeitável, postura política pesou contra o militar

Na reunião desta quarta, o ministro foi saudado pelos representantes dos TREs. Ainda no encontro, os desembargadores apresentaram informações sobre as ações em andamento para a realização do pleito em cada estado. A reunião discutiu ainda estratégia para o combate à desinformação e a articulação com as instâncias locais de segurança para adoção de medidas.

Durante o encontro, Moraes ressaltou a necessidade de que a Justiça Eleitoral tenha uma atuação padronizada. "Estamos absolutamente de portas abertas para todas e todos. O TSE sozinho não faz nada. O TSE atua junto com os Tribunais Regionais Eleitorais e com todos os juízes eleitorais", disse o ministro.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, coordenadora do Núcleo de Política).

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA