Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Deputados estaduais pedem cassação de Douglas Garcia

Parlamentares da Assembleia Legislativa de São Paulo acionaram o Conselho de Ética

O Liberal

Pelo menos três deputados estaduais da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) pedindo a cassação de Douglas Garcia (Republicanos) por possível quebra de decoro parlamentar após hostilizar a jornalista Vera Magalhães durante debate da TV Cultura entre candidatos ao governo de São Paulo. O próprio candidato apoiado por Douglas, Tarcísio de Freitas (Republicanos), solidarizou-se com a jornalista e disse que o caso tem que ser apurado. "Eu não posso falar pelo partido, mas eu acho que esse tipo de atitude tem que ser punida severamente. Inclusive, pela Alesp", disse Tarcísio. As informações são do UOL e da Agência Estado.

Um dos pedidos contra Garcia, candidato neste ano a deputado federal, foi apresentado pelo deputado estadual Emidio de Souza (PT) na manhã desta quarta-feira (14). O documento, ao qual UOL obteve acesso, ressalta que "o caso merece, evidentemente, apuração pela quebra de decoro parlamentar levada à prática pelo representado [Douglas Garcia]".

"Competindo, assim, a este colendo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar afirmar sua repulsa ao ocorrido; respeito à imprensa; solidariedade à jornalista agredida; e, da mesma forma, respeito às mulheres que se viram aviltadas em sua dignidade pela atitude do parlamentar, nos termos e conformes dos procedimentos adrede especificados", concluiu o parlamentar.

Em nota, a Alesp disse que "não compactua e repudia condutas ofensivas e desrespeitosas, sempre prezando pelo respeito, diálogo e tolerância entre todos".

Presidenciáveis de posicionam

Após a jornalista Vera Magalhães ser hostilizada pelo deputado estadual Douglas Garcia nos bastidores do debate da TV Cultura na noite desta terça-feira, 13, diversos presidenciáveis saíram em defesa da profissional.

O ex-presidente Lula (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) se manifestaram em apoio à jornalista. Dentre os quatro candidatos à Presidência mais bem posicionados nas pesquisas de opinião, somente Jair Bolsonaro (PL) ignorou o ocorrido. Na manhã desta quarta-feira, 14, o presidente utilizou o Twitter para falar sobre o programa social Casa Verde e Amarela.

O ataque de Garcia à jornalista ocorreu no final do debate ao governo de São Paulo. O parlamentar foi até Vera e a abordou de forma truculenta, reproduzindo acusações que o presidente Jair Bolsonaro fez no primeiro debate presidencial da campanha, na Band TV, ocorrido no dia 28 de agosto. "A senhora é uma vergonha para o jornalismo brasileiro", gritou o parlamentar.

Garcia também repetiu uma falsa acusação sobre o salário da jornalista, fake news que havia sido veiculada por ele já em 2020. O parlamentar teve de ser separado de Vera Magalhães por um segurança e só parou de ofender a jornalista quando teve seu celular tomado por Leão Serva, diretor de redação da TV Cultura, que arremessou para longe o aparelho.

Antes do debate, o deputado fez uma publicação em suas redes sociais em tom de deboche questionando se a jornalista compareceria ao evento.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA