logo jornal amazonia

Serial Killer de Altamira é condenado a 10 anos pela morte de uma de suas vítimas

Eliseu Costa Gomes matou e enterrou José Raimundo Rodrigues dos Santos no quintal da própria casa

O Liberal
fonte

Um crime ocorrido em 9 de março de 2020 e que chocou a população de Altamira, no oeste do Pará, teve seu desdobramento final na última terça-feira (22), quando o Tribunal do Júri decidiu pela condenação de Eliseu Costa Gomes, 21 anos, 10 anos de prisão, por homicídio e ocultação de cadáver. A vítima, José Raimundo Rodrigues dos Santos, 36 anos, foi morta e teve o corpo enterrado no quintal da casa do réu, onde dois outros cadáveres foram encontrados. 

VEJA MAIS

image Polícia fecha 'fábrica de drogas' e apreende cocaína para refino em Parauapebas
Mais de 40 kg de diferentes tipos de entorpecentes, além de equipamentos para pesar e embalar as drogas, foram apreendidos

image Policiais penais do Pará são presos por comércio ilegal de armas e munições
Investigações apontam que eles lideravam um grupo que comercializava os materiais com traficantes e membros de facções criminosas

image Vítima de facada é encontrada agonizando na zona rural de Maracanã
Suspeito de praticar furtos na cidade, o homem foi encontrado por populares em uma área de mata com ferimento nas costas

Investigações feitas à época apontaram que acusado e vítima bebiam juntos pouco antes do crime, mas, a motivação do réu não ficou esclarecida. Oito testemunhas foram ouvidas e contaram que familiares de José Raimundo iniciaram buscas por ele após o seu desaparecimento sem explicação. Ao serem informados que a vítima tinha sido vista bebendo em companhia de Eliseu Costa decidiram procurá-lo. Parentes desconfiaram que ele pudesse estar enterrado no local e foram cavar o terreno por conta própria, encontrando o corpo em cova rasa.

De acordo com o promotor Alexandre Moura, a Justiça descartou a possibilidade de latrocínio do caso, tendo em vista que José Raimundo foi até a casa do réu em uma moto, mas o veículo não foi roubado por Eliseu, fazendo com que o caso se enquadrasse como homicídio simples. A hipótese de homicídio também foi confirmada por relatos de testemunhas, que contaram que outro homem também esteve envolvido no assassinato. O segundo suspeito, Olivandro da Silva, não foi localizado.

Na investigação, outros dois corpos foram encontrados na residência do réu. Um deles era de Luiz Carlos Calixto Barros, de 43 anos, que desapareceu em agosto de 2019. Segundo informações da polícia, Luiz foi morto com golpes de martelo e teve as pernas separadas do corpo. O segundo corpo era de Walison Varela, de 22 anos, que sumiu em fevereiro de 2019. Eliseu confessou os três assassinatos e colaborou com a polícia apontando o local onde estavam enterradas as duas outras vítimas.

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA