Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Polícia Civil e Banpará alertam para aumento de golpes virtuais

Os clientes devem adotar vários procedimentos para evitar golpes por ligações telefônicas, WhatsApp, PIX, e-mail e outros meios digitais

O Liberal

Com o aumento da criminalidade, especialmente no meio virtual, é preciso ficar cada vez mais alerta para não cair em golpes nas contas bancárias. De acordo com a Polícia Civil do Pará, o "golpe do consórcio" tem sido o mais recorrente nas denúncias feitas pelas vítimas. No Banco do Estado do Pará (Banpará), os golpes mais comuns são os de "phishing" — técnica usada para enganar usuários e obter informações confidenciais —, golpes voltados ao Whatsapp e por falsa central telefônica.

O delegado Neyvaldo Silva, diretor da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), afirma que houve um aumento no número de ocorrências, o que preocupa o sistema de segurança pública. "Esse aumento se relaciona com a pandemia, se a gente levar em consideração que as pessoas passaram a ficar muito mais tempo na internet, e há criminosos que veem nisso uma oportunidade, em especial as quadrilhas de estelionatários", explica.

Abel Freitas Rodrigues, superintendente de Gestão de Risco do Banpará, ressalta que é válido manter alguns cuidados básicos para não cair em golpes, como manter o sistema operacional do celular atualizado, trocar periodicamente a senha de acesso, ter um antivírus confiável atualizado, acompanhar periodicamente o extrato e lançamentos e ativar o serviço do envio do SMS com registro das transações realizadas.

Também é importante guardar de forma segura as senhas e não anotá-las em local de fácil acesso de terceiros, além de nunca compartilhar suas credenciais de acesso, códigos de segurança e senhas de cartões com terceiros, não utilizar computadores de lan house para acessar a conta bancária, não habilitar celulares desconhecidos e jamais clicar em links recebidos por SMS, e-mail ou redes sociais, nem fornecer senhas ou credenciais a terceiros por contato telefônico.

"Uma das opções para proteger-se é utilizar os APPs de banco somente em casa, mesmo tendo que abrir mão da facilidade de ‘levar’ seu banco para onde estiver. Diminuir o limite financeiro de transferência via PIX também é uma estratégia. Essa função já está disponível nos aplicativos de bancos. Outra dica é utilizar no dia a dia um APP de banco secundário, com um menor valor em sua conta corrente e um crédito baixo", orienta Abel Rodrigues.

Recomendações

Aos clientes do banco, ele recomenda baixar e utilizar apenas os aplicativos do Banpará disponíveis nas lojas oficiais da Apple Store e Google Play, e habilitar sempre um dispositivo confiável, que será responsável por gerar a chave eletrônica (bptoken). As senhas são uma identificação e assinatura digital, portanto, nunca devem ser compartilhadas com ninguém, mesmo com pessoas que se dizem de empresas confiáveis. 

Vale a pena utilizar sempre senhas complexas, com letras, números, maiúsculas e minúsculas e caractere especial (@, #, $ e %). Dados pessoais, como nomes e sobrenomes de familiares e amigos, contas de usuário, datas, números de documentos, placas de carros e números de telefones devem ser evitados. É importante atualizar as senhas periodicamente.

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA