logo jornal amazonia

Pará reduz 43% da criminalidade em quatro anos e supera meta nacional

De acordo com a Segup, mais de 1.700 vidas foram preservadas; investimentos em diversos setores ajudaram no processo

Camila Azevedo
fonte

O ano de 2022 é apontado como sendo o de menor indicador de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) no Pará, representando a preservação de 1.750 vidas e alcançando redução de 43,20% se comparado a 2018 e 4,76% em comparação ao ano de 2021. A redução supera as metas propostas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, de menos 3,5%, além da estabelecida no Plano Estadual de Segurança Pública, de menos 4%, conforme os dados divulgados pela pela Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). 

De acordo com Ualame Machado, titular da Segup, o ano passado foi o melhor do combate a redução da criminalidade no estado, chegando a mais de mil vidas preservadas. “Além disso, contabilizamos próximo de 5% de redução em relação aos Crimes Letais Intencionais no acumulado de janeiro a dezembro, quando comparado a 2021, o que demonstra que continuamos no caminho correto. Esse resultado positivo, inclusive superando as metas propostas tanto a nível nacional como estadual, demonstra a importância das ações realizadas desde o começo, com investimentos, inteligência e integração das forças estaduais, municipais e federais, que atuam diariamente com planejamento e ações estratégicas, identificando de fato as reais causas dos crimes e atuando para que eles sejam evitados”, destacou.

O secretário acrescentou ainda que ”superamos a meta estabelecida no Plano Estadual, que era de 4% no ano nesse tipo de modalidade criminosa e conseguimos ultrapassar um pouco a meta, o que é muito positivo. Os números em redução indicam que estamos sim no caminho correto, porém temos a consciência de que muito se precisa e podemos fazer ainda mais”.

Em números absolutos, no período de 01 de janeiro até 31 de dezembro de 2022, foram computados 2.301 casos de crimes violentos letais intencionais (CVLI), que englobam homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, enquanto que nos anos de 2021 e 2018, foram registrados 2.416 e 4.051, respectivamente, apresentando assim a preservação de 115 e 1.750 vidas no mesmo período. 

“Nós sempre reconhecemos a importância da atuação de todos os órgãos do sistema para que possamos chegar a esses resultados alcançados, pois cada um, dentro da sua atribuição e de forma integrada, executa da melhor forma possível ações que garantem a segurança da população e a redução nos indicadores de criminalidade. Nosso objetivo é avançar com ações efetivas, para reduzir ainda mais a criminalidade", acrescentou Ualame.

Crimes contra o patrimônio também foram reduzidos

Nos casos de roubos, no Pará, houve uma redução de 20,27%, com 13.910 de casos registrados a menos que em 2021. Os dados apontam 68.614 ocorrências em 2021 e 54.704 em todo o ano de 2022. A redução é ainda maior, chegando a 48,70%  se comparado a 2018, quando foram computados 106.630 casos.

Os números de roubos a transeuntes apontaram uma redução de 24,14% em todo o Pará. Em 2022, foram computados 39.193, enquanto que no ano passado foram registrados 51.668, apontando uma queda de 12.475 casos. Se compararmos a 2018, a redução chega a 56,29%, quando 89.670 ocorrências foram computadas. 

Ações ostensivas, capacitações e aumento de efetivo estão entre os investimentos que contribuíram para a redução dos crimes violentos em nosso estado, como destaca o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dilson Junior. “A redução obtida ao longo de 2022 mostra que nosso trabalho foi coroado com essa diminuição na criminalidade. Várias ações ostensivas foram desenvolvidas tanto na Região Metropolitana de Belém, quanto no interior do estado, de forma estratégica, garantindo a segurança da população. Agora, temos novas tecnologias para implantar, como por exemplo, as câmeras corporais, que já estamos em processo de licitação para a compra, o que vai ajudar ainda mais no policiamento e seguir reduzindo ainda mais os números de crimes”, reforçou.

Investimentos

Entre 2018 e 2021, foram realizados vários investimentos históricos, de curto, médio e longo prazo a fim de reprimir o crime em todas as modalidades e áreas de atuação, como a aquisição de câmeras com inteligência artificial, veículos aéreos remotamente pilotáveis (drones), a instalação do novo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), implantação da 1ª base integrada fluvial “Antônio Lemos” e ampliação da atuação do Graesp. 

Também foram viabilizadas novas viaturas para reforçar o policiamento ostensivo na capital e no interior, compra de equipamentos como coletes balísticos, equipamentos de visão noturna, além de novas lanchas, sendo três blindadas para coibir o crime em todas as regiões do Estado. Foi realizado aumento do efetivo por meio de concursos públicos, capacitação profissional; novas unidades de polícia integradas no interior com o objetivo de aproximar a sociedade dos órgãos de segurança, e a implantação do Programa Territórios pela Paz (TerPaz).

Palavras-chave

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA