Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Paciente é preso após ato de racismo contra médica do Samu: ‘Preta nojenta’

A equipe recebeu um chamado que de um homem havia desmaiado em uma rodovia da cidade. Durante o atendimento, Jean havia recuperado a consciência

Rayanne Bulhões

Um homem foi preso após ameaçar e xingar de forma racista uma médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O paciente foi identificado como por Jean Cleber Fernandes da Costa, de 43 anos. O caso aconteceu na última segunda-feira (19), na cidade de Iporá, em Goiás (GO). As informações são do Metrópoles.

A vítima foi a socorrista Kássia Karoline Barcelos, de 27 anos. A equipe foi acionada para ajudar um homem que havia desmaiado em uma rodovia da cidade. Durante o atendimento da equipe, Jean já havia recuperado a consciência. A profissional perguntou ao paciente como estava sentindo, ele respondeu: “Vontade de dar um tiro na sua cara”. Em seguida, ele teria falado: “Sua preta nojenta e feia”.

VEJA MAIS

Vinicius Jr. foi intimidado por programa da Espanha para não se manifestar contra o racismo
Segundo o jornalista Iñaki Angulo, a equipe do programa “El Chiringuito Jugones” tentou fazer com o brasileiro não publicasse o vídeo em que se manifesta contra o racismo que sofreu


Caso de racismo: Luísa Sonza confessa ação judicial e se retrata nas redes sociais
O fato aconteceu em 2020, com a advogada Isabel Macedo. A denunciante diz que foi tratada com discriminação, quando a cantora pediu um copo d´água, achando que ela servia o local


 

Para a Polícia Militar, a médica socorrista disse em depoimento que após a agressão racista, ela continuou o atendimento de forma profissional, mas a violência não acabou. Jean Cleber ainda teria puxado o equipamento de medir pressão, a chamado de “preta do cabelo ruim” e agrediu verbalmente a enfermeira e o motorista de puta e desgraçados.

La Liga fará denúncia sobre insultos racistas de torcedores do Atlético de Madrid a Vini Jr; vídeo
Atacante brasileiro foi alvo de racismo antes do clássico entre Real Madrid e Atlético pelo Campeonato Espanhol

Depois da finalização do atendimento, Kássia foi até uma delegacia e denunciou o homem. A equipe o prendeu em flagrante. Jean vai responder por injúria racial e ameaça ao servidor público no exercício de sua função. O homem foi liberado e vai responder em liberdade.

Criança negra chora e questiona após sofrer racismo: ‘Um dia eu vou ficar branco?’
O menino foi chamado de "cocô" por colegas da escola por causa da cor de sua pele

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA